14/04/2015 17h58 – Atualizado em 14/04/2015 17h58

Cada um dos dois indicados recebeu 22 votos favoráveis e dois contrários

Assessoria

Sob o comando do senador Delcídio do Amaral (PT/MS), a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovou nesta terça-feira, 14 de abril, os nomes de Otávio Ribeiro Damaso e de Tony Volpon para a diretoria do Banco Central.

Ao serem sabatinados pelos senadores, os dois economistas prometeram um combate rigoroso à inflação e disseram que farão de tudo para assegurar estabilidade do poder de compra da moeda.

— Não há fundamentação na literatura econômica de que tenha observado crescimento econômico e melhor padrão de vida da população sem que fosse assegurada a estabilidade do poder de compra da moeda. Manter a inflação sob controle deve ser compromisso de todo governo; mais do que isso, uma política de estado — afirmou Otávio Damaso.

Para Tony Volpon, assim que os ajustes atuais na economia forem concluídos, a inflação deve voltar ao centro da meta e a economia terá condições de crescer novamente:

“Quando o atual programa de ajuste econômico for concluído teremos as condições de ver a economia brasileira voltar a crescer de forma sustentável. As recentes ações da política monetária tem sido nessa direção. A convergência da inflação para o centro da meta deve ser algo factível já em 2016”, previu.

De acordo com Delcídio, a CAE cumpriu muito bem seu papel.
“Uma das atribuições da nossa comissão é justamente sabatinar as pessoas indicadas pelo governo para ocupar cargos importantes em instituições como o Banco Central. E isso foi feito hoje com muito zelo e afinco pelos membros da CAE. Os novos diretores demonstraram bastante conhecimento do mercado e eu não tenho dúvida que , por seu talento e experiência, cumprirão um papel importante na luta pela crescimento da economia”, avaliou o presidente.

AUTONOMIA

Uma possível independência do Banco Central foi outro tema abordado pelos senadores. Os indicados evitaram se posicionar sobre o assunto, mas garantiram que o que importa realmente é uma autonomia operacional, coisa que a instituição brasileira já conquistou.

Segundo eles, o assunto vai além de questões técnicas. Cada país adota um modelo diferente – mais adequado às suas características políticas, econômicas e culturais – e o local apropriado para discutir o tema é o Congresso Nacional. “Não aceitaria o cargo se não tivesse a total convicção de que o BC tem total autonomia”, disse Otávio Damaso.

Otávio Damaso é economista graduado pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em Matemática para Economia e Administração pela mesma universidade. Funcionário de carreira do Banco Central há 17 anos, exerce desde 2011 o cargo de chefe de gabinete do presidente da instituição.

Tony Volpon formou-se na Universidade McGill, de Montreal, e é mestre em Economia pela Universidade Western Ontario, ambas no Canadá. Desde setembro de 2009, exerce o cargo de diretor-executivo, na função de chefe de Pesquisas para Mercados Emergentes das Américas, no Nomura Securities lnternational, em Nova York (EUA).

(*) Assessoria do senador Delcídio do Amaral

Comentários