24.2 C
Três Lagoas
sábado, 16 de outubro, 2021
InícioNotíciasBrasil é o segundo maior consumidor de cafés do mundo

Brasil é o segundo maior consumidor de cafés do mundo

Hoje comemora-se o Dia Nacional do Café

Puro ou em suas muitas variações… carioca, pingado, cappuchino, americano, expresso, mocacchino… Nesta segunda (24), é comemorado o Dia Nacional do Café, que homenageia essa que é uma das bebidas mais consumidas no mundo, e que tem o Brasil como o maior produtor e exportador, seguido do Vietnã e da Colômbia.

E sabe a razão da escolha desse dia? Porque, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC), 24 de maio marca o começo da colheita do café no país.

O Brasil é o segundo maior consumidor de café no mundo, perdendo somente para os Estados Unidos.

Em 2020, segundo a ABIC, o consumo no país cresceu 1,34%, ou seja, 21,2 milhões de sacas, entre café torrado, moído e solúvel, uma média de 4,79 kg por pessoa. Isso mostra que o item continua sendo prioridade para consumidores, com taxa de 97% de penetração nos lares, de acordo com os dados da Associação.

Outro fator observado nos últimos anos pela Abic foi um aumento na procura por cafés especiais. “A pandemia teve um reflexo direto nisso, já que os cafés especiais trazem benefícios para a saúde, ou seja, fazem bem para o corpo, para a mente e para o convívio em sociedade. Notamos uma grande procura em nossas lojas”, comenta a coordenadora regional de Marketing do Fort Atacadista, Rafaellen Duarte.

Agora vamos falar sobre as propriedades do café: quando consumido até 4 vezes ao dia, aumenta a capacidade de concentração; e a cafeína, seu princípio ativo, evita a depressão e o mau humor. Uma pesquisa recente mostra também que beber pelo menos duas xícaras de café por dia pode aumentar a expectativa de vida dos consumidores em até dois anos. Tem mais: a borra do café, aquele pozinho que resta depois de coar a bebida, é um ótimo adubo.

Preparo

“Dependendo da questão social, o preparo do café hoje em dia varia do tradicional coador de pano, aquele da casa da avó, de papel, cafeteiras elétricas ou máquinas expressas. Mas, independente de como é feito, o importante é o sabor, e isso é muito pessoal”, ressalta o barista Welligton Lacerda.

Fotos: Pixabay

Uma dica importante na hora de preparar o café é a temperatura da água. Welligton recomenda utilizar a água filtrada e aquecida, não fervente, pois a tendência é que ela acentue o gosto amargo do café. “A recomendação é que a água esteja na temperatura média entre 91 a 96 graus para um bom café ou utilizá-la antes de ferver”, sugere.

Atuante na prática há cerca de 8 anos, o barista aperfeiçoou a técnica após morar em Lisboa. “Os europeus também amam café, existe uma cafeteria praticamente em cada esquina, mas quase não consomem café coado e sim outros métodos, como a prensa francesa”.

Ele detalha ainda sobre os tipos de café existentes e mais conhecidos pelo público, como o expresso, mais concentrado; o cafè latte, café ao leite, clássico, com leite vaporizado e expresso, coberto por espuma de leite; cappuccino; mochaccino, composto por chocolate, expresso, leite vaporizado e chantilly; e o macchiato, feito com uma camada de leite cremoso, expresso e leite vaporizado por cima.

Proprietário de uma cafeteria em Mato Grosso, o barista ensina, ainda, como incrementar a bebida para diferenciá-la no dia a dia. “A dica é utilizar itens que normalmente temos em casa, como a canela, que faz toda a diferença no sabor; a calda de chocolate no fundo do copo; e substituir o leite integral tradicional por leite de coco”, conclui.

Tipos de Grãos

A chef de cozinha, professora de gastronomia e barista sul-mato-grossense Patrícia Grimm Ayres destaca sobre os tipos de grãos existentes para comercialização. “Temos vários tipos de grãos, mas basicamente classificamos e encontramos no mercado os dois principais: café Robusta e o café Arábico. Cada um desses grãos gera cafés de sabores e características bem diferentes”, explica.

Já sobre a diferença entre o café de coador e o expresso, a profissional ressalta que o expresso é mais “forte”, pois quando se usa a pressão para extrair o café, retiram-se os óleos essenciais do café que é onde está o sabor. E no café coado é como um “chá” e o sabor é mais suave.

“Mas isso não indica se um método é melhor que o outro ou se um é mais gostoso que o outro. São métodos diferentes apenas. Os dois são ótimos. E a escolha do método de preparo depende de cada pessoa”, observa. Por fim, a barista aponta a importância de usar um grão de café de qualidade para o preparo.

“Uma dica é usar um grão de café de qualidade e sempre escaldar o filtro e o recipiente onde você irá coar o café. Outra dica de ouro é preparar somente a quantidade de café que vai ser consumida na hora ou no máximo na hora seguinte”, finaliza Patrícia.

Sugestões para incrementar o café

– Salpique canela em pó no café pronto ou mexa o café com um pedaço de canela;
– Coloque calda de chocolate no fundo do copo;
– Salpique chocolate em pó no fundo do copo;
– Derreta um pouco de chocolate em barra no fundo do copo;
– Substitua o leite integral tradicional por leite de coco.

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Comentários
error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.