24.7 C
Três Lagoas
terça-feira, 16 de agosto, 2022
InícioNotíciasCapivara fica ferida com anzol após pescaria irregular na Lagoa Maior

Capivara fica ferida com anzol após pescaria irregular na Lagoa Maior

Proibida por resolução desde 2013, pesca na Lagoa Maior continua sendo hábito recorrente, mesmo com os peixes pescados no local sendo impróprios para consumo humano

Na manhã desta quinta-feira (22), a equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA) fez o atendimento de uma capivara que se encontrava ferida por um anzol de pesca.

A veterinária da SEMEA, Andréia Santana, comentou que o objeto estava perfurando a região lombar do animal e, provavelmente o incidente aconteceu no dia 21, feriado – quando as pessoas insistem em pescar na Lagoa. “É possível que a capivara tenha sido atingida no momento do arremesso do anzol na água ou tenha passado pela linha no leito da Lagoa”, explicou.

Marca do ferimento causado pelo anzol na capivara. Fotos: Divulgação

Desde 2013 a pesca na Lagoa Maior é proibida por resolução. No entanto, algumas pessoas ainda continuam a praticar pescaria no local, causando riscos às pessoas e animais existentes por lá. Em toda a extensão da pista de caminhada há placas de orientação sobre esta proibição.

O secretário da pasta, Celso Yamaguti, também participou do atendimento e frisou sobre a proibição da pesca na Lagoa. “Mesmo com tantas campanhas já feitas e com as placas instaladas ao redor da Lagoa, as pessoas ainda insistem em desobedecer as regras. Este acidente mostra que além de ilegal, a pesca na Lagoa pode ser perigosa”, disse.

“São incidentes como este que precisam ser evitados. Já ocorreram outros casos envolvendo animais e a pesca irregular e, a nossa missão é fazer com que a proibição seja respeitada”, completou o secretário.

Por sorte, o anzol estava em parte superficial da pele do animal e não causou danos à sua saúde, nem risco de morte. Celso reforça que as ações da SEMEA serão intensificadas para conscientizar a população de que a Lagoa não é lugar de pesca.

“A Lagoa Maior é o nosso maior cartão postal e não podemos deixar que acidentes como este prejudiquem a imagem que tem. Sendo um local de grande circulação de pessoas e pelos animais nativos de lá, é preciso entender que a pescaria pode prejudicar e muito, inclusive as aves. Participaram também do atendimento à capivara os integrantes da equipe, Marlon Donadoni, Valmirá Pio da Silva e Francisco Paulo Rios.

PROIBIÇÃO E RISCO À PRÓPRIA SAÚDE

A proibição da pesca e banho na Lagoa Maior foi publicada por Resolução em 30 de setembro de 2013, amparada por Lei Federal que regulamenta as prerrogativas, punições e possíveis multas para quem infringi-la. Porém, por não ser Lei, esta resolução não tem efeitos de punibilidade e sanções administrativas.

Um estudo realizado em 2008 pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) de Três Lagoas revela que, devido à alcalinidade da água e outras influências, os peixes encontrados na Lagoa são impróprios para consumo, podendo causar danos à saúde humana.

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.