15/03/2012 19h54 – Atualizado em 15/03/2012 19h54

Carta entregue para Assomasul reivindica o cumprimento da Lei do Piso.

Em carreata com 58 ônibus trabalhadores em educação vão até a Assomasul para reivindicar cumprimento da Lei do Piso Salarial Nacional.

Da Redação*

Após a passeata que reuniu mais de 15 mil trabalhadores em educação de todo o Mato Grosso do Sul, na manhã desta quinta-feira (15), uma carreata com 58 ônibus dos municípios do Estado, seguiu até a Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) para um ato público e a entrega de uma carta a diretoria da entidade, reivindicando questões como a intervenção da associação para que os prefeitos municipais assumam o compromisso de cumprir na íntegra a Lei do Piso Salarial Nacional, nº 11.738.

Para o presidente da FETEMS, Roberto Magno Botareli Cesar, a Assomasul, entidade que representa os prefeitos de Mato Grosso do Sul, pode assumir o compromisso de intervir junto às prefeituras municipais para que elas cumpram na íntegra a Lei do Piso e respeitem os direitos da categoria. “A Federação está cumprindo o seu papel em tentar dialogar com a Assomasul e solicitar que ela, como entidade representativa dos gestores públicos, intervenha e solicite que os prefeitos cumpram a Lei em seus municípios. Nós da FETEMS, enquanto entidade que luta pelos direitos dos trabalhadores em educação, já protocolamos diversas ações nos fóruns municipais para fazer com que a Lei do Piso seja respeitada e cumprida nas cidades de MS”, afirma.

De acordo com a vice-presidente da FETEMS, Elaine Aparecida de Sá Costa, a Federação tem o dever de dialogar com outras entidades como a Assomasul e estabelecer um diálogo para que questões como a Lei do Piso sejam resolvidas. “Viemos até a Assomasul, pois respeitamos a representatividade da entidade que possui um diálogo aberto com os prefeitos do Estado e com certeza pode intervir em questões como o cumprimento da Lei do Piso Salarial Nacional por parte das prefeituras municipais”, ressalta.

Segundo o diretor-executivo da Assomasul, Sebastião de Almeida Filho, toda a categoria tem o direito constitucional de reivindicar, principalmente a educação, que é um instrumento de transformação do ser humano. “Respeitamos o movimento, mas cada município tem a sua autonomia, sua independência financeira para negociar, mas assumimos o compromisso com a FETEMS que vamos encaminhar o documento que nos foi entregue e vamos interceder junto aos prefeitos”, disse.

Na parte da tarde desta quinta-feira (15), às 15hs30, 15 prefeitos que cumprem a Lei do Piso Salarial Nacional na sua íntegra, pagam o salário de R$ 1.451 e concedem 1/3 de hora-atividade para o planejamento de aulas, receberam um prêmio chamado “Prefeito Educador” da diretoria da FETEMS e dos seus 71 sindicatos afiliados.

(*) Com informações da assessoria da Fetems

Carreata dos trabalhadores em educação nesta quinta-feira na Capital.

Comentários