Contratos, atas de assembleias e depoimentos estão entre os documentos tornados públicos pela J&F ao longo desta semana e que desmentem as alegações do empresário

Ao longo dos últimos dias, foram trazidas na imprensa sul-mato-grossense diversas evidências que acabam com qualquer dúvida sobre o processo movido por Mário Celso Lopes contra a J&F Investimentos, controladora da Eldorado Brasil. Ele tenta obter de maneira antiética e desleal 8,28% do capital da companhia de celulose, da qual ele saiu em 2012 após vender para a J&F por R$ 300 milhões sua participação total de 25%.

Os documentos comprovam que o empresário mentiu à Justiça e à imprensa.

A ação movida por ele é meramente oportunista. Veja abaixo um resumo das alegações de Lopes e do que os documentos dizem.

O que Mário Celso Lopes dizO que a verdade prova
Sua participação na Eldorado foi irregularmente diluída (reduzida em 2011, de 25% para 16,72%. Em 2012, Lopes vendeu 25% (e não 16,72%) da Eldorado para a J&F Investimentos por R$ 300 milhões, conforme contrato assinado e pago.
Em 2017 e 2019, Lopes disse em depoimentos à Polícia Federal e à CPI do BNDES que vendeu 25 (e não 16,72%) da Eldorado.
Foi lesado pela J&F. À CPI do BNDES, em 2019,
Lopes disse que não teve prejuízo ao vender seus 25% da Eldorado e que entendeu “que seria interessante o valor proposto” e saiu da empresa
Não deu anuência à operação
que teria resultado na diluição de sua participação.
Lopes estava presente e aprovou as operações às quais ele se refere na ação, conforme atas de assembleias de acionistas da Eldorado, assinadas por ele, e que comprovadamente não resultaram em diluição
Tem direito ainda hoje a 8,28% das ações da Eldorado. Em 2012, a J&F comprou a empresa de Mário Celso Lopes que detinha 25% da Eldorado, de forma que somente a própria J&F poderia requerer qualquer direito referente à MJ Participações

É com base nessas e em muitas outras evidências que a J&F está segura de que terá seus direitos respeitados. E que Mário Celso Lopes será levado a arcar com os custos e danos que sua atitude desleal causar.

A J&F, um dos maiores grupos de Mato Grosso do Sul, agradece à população deste grande Estado pelas manifestações de apoio e incentivo recebidas ao longo dos últimos dias e reitera sua confiança na Justiça.

Campo Grande, 20 de Dezembro de 2019

J&F Investimentos S.A.

Comentários