14/02/2018 20h20

Em reunião realizada nesta quarta-feira, os integrantes do Conselho Comunitário de Segurança decidiram que todas as entidades de Três Lagoas serão convidadas a participarem de uma operação conjunta em vários locais da cidade

Ricardo Ojeda

Os componentes que integram o Conselho Comunitário de Segurança de Três Lagoas participaram de uma reunião no final da tarde desta quarta-feira na sede do 2º Batalhão de Policia Militar. A reunião foi convocada pelo comandante do BPM, tenente coronel, James Magno da Silveira.

O objetivo do evento foi colher subsídios junto aos demais conselheiros para um plano de ação que possa dar uma resposta mais efetiva à segurança na cidade. Os últimos registros de ocorrências policiais acendeu a “luz vermelha”, trazendo preocupação para os conselheiros e consequentemente à sociedade.

CONSENSO

Após várias explanações dos integrantes, chegou-se a um consenso de convidar as demais instituições do município, como o Ministério Público Estadual, OAB, Prefeitura, Polícia Civil, Conselho Tutelar, Secretaria de Assistência Social, entre outros, para uma grande operação conjunta. Para isso, outra reunião ocorrerá ainda esta semana para definir e a responsabilidade de cada órgão nessa operação.

A cidade de Três Lagoas está pagando um preço “muito alto” pelo seu rápido crescimento e com isso, os problemas sociais e de segurança pública vem se avolumando a níveis preocupantes.

A intenção é uma grande operação em vários pontos da cidade, como a Rodoviária. Lagoa Maior, Praça Alvorada, estação ferroviária, Praça Ramez Tebet, entre outros locais para fiscalizar e ao mesmo tempo fazer um cadastro para saber das condições e das origens dos moradores em situação de rua, dependentes químicos e menores que se aglomeram nessas localidades para consumirem drogas e outros materiais ilícitos.

RAIO X

O objetivo é ter um “Raio X” da situação para ver que procedimento adotar. Muitas dessas pessoas precisam de uma assistência para voltar ao seu local de origem, outros de uma de uma oportunidade de reintegrar-se à sociedade, como um tratamento, ou talvez uma oportunidade de trabalho.

“A proposta é agir rapidamente, porém para isso é preciso do apoio dos órgãos mencionados para solidificar as ações de segurança da polícia,” concluiu o presidente, Eurides Silveira de Freitas.

Reunião aconteceu na sede do Batalhão da Polícia Militar de Três Lagoa e contou com a presença de 11 conselheiros (Foto: Coronel Arruda)

A decisão de convocar as demais instituições foi aceita por unanimidade e o objetivo é dar uma resposta rápida a crescente ocorrências de criminalidade na cidade (Foto: Djair José Martínez)

Comentários