08/01/2013 09h55 – Atualizado em 08/01/2013 09h55

Fundação Chapadão inicia o ano monitorando as pragas na região dos Chapadões

O programa tem como objetivo monitorar o clima, as estações da lua e os insetos que atacam as culturas

Da Redação

No dia 18 de dezembro de 2012 a Fundação Chapadão em parceria com a empresa Bayer, realizou a instalação de armadilhas luminosas na região dos Chapadões. Elas se encontram em fazendas nos municípios de Chapadão do Sul/MS, Costa Rica/MS, Paraíso das Águas/MS e Chapadão do Céu/GO, abrangendo toda a região dos Chapadões.

O programa tem como objetivo monitorar o clima, as estações da lua e os insetos que atacam as culturas da soja, milho, algodão, feijão, pastagens, cana-de-açúcar, girassol entre outras. Este levantamento será relacionado com o monitoramento a campo, efetivado pelas fazendas, para proceder à utilização de inseticidas no manejo das pragas monitoradas. Algo semelhante à Fundação faz com as doenças da soja em especial a Ferrugem e o Mofo branco.

Segundo o pesquisador Germison Tomquelski, responsável do setor de Fitossanidade e do programa de armadilhamento, a região apresenta um grande mix de culturas, consequentemente de pragas, com isto pretende-se relacionar o comportamento destas no decorrer dos anos e assim poder realizar um ajuste adequado quanto ao manejo dos insetos pragas, orientando o produtor na tomada de decisão de forma racional e exata quanto ao controle das pragas e a preservação dos inimigos naturais.

Entre as pragas observadas nas armadilhas nestes últimos dias, a mariposas da lagarta-da-espiga do milho (Helicoverpa zea), tem aparecido em algumas armadilhas com frequência de até 32%. Diante a isto o pesquisador sugere atenção aos plantadores de milho, já que a mesma tem provocado prejuízos em várias regiões do Brasil. Vale salientar ainda que esta praga pode atacar a cultura da soja e do algodoeiro. Ela pode ser confundida algumas vezes com a lagarta-da-maçã do algodoeiro (Heliothis virescens), verificar no site fundacaochapadao.com.br suas diferenças e características.

Outra mariposa encontrada com frequência em torno de 15 a 20% nas armadilhas é a falsa-medideira (Pseudoplusia includens). Esta tem sito encontrada nas armadilhas instaladas próximos aos talhões de soja.

Os pesquisadores e a Fundação Chapadão estão à disposição para qualquer dúvida.

(*) Com informações de O Correio News

Comentários