Empresa emitiu nota oficial, dizendo que precisou interromper o funcionamento da fábrica durante a madrugada e houve a liberação do odor, mas que o cheiro não representa risco à saúde nem ao meio ambiente

Três Lagoas amanheceu sob um forte odor na manhã deste sábado, 12. Após relatos vindos de vários bairros, o Perfil News foi atrás de informações sobre de onde viria o cheiro.

A primeira empresa a emitir nota foi a Suzano (abaixo). A empresa confirmava que o odor não partia de nenhuma de suas plantas.

O Perfil News também entrou em contato com o Imasul, que não se pronunciou, o que aumentou a preocupação – e a boataria – entre a população. Muitas pessoas passaram a relatar náuseas e dor de cabeça, especialmente na região do Interlagos e Novo Aeroporto.

Algumas horas depois, a Eldorado Brasil assumiu que o cheiro vinha da sua fábrica. De acordo com a indústria, a fábrica precisou ter o funcionamento interrompido durante a madrugada, que ocasionou a liberação do odor. Ainda segundo a empresa, o cheiro não representaria risco nem à saúde, nem ao meio ambiente. Segue a nota completa emitida pela empresa:

A Eldorado Brasil informa que interrupção temporária no funcionamento da fábrica, na madrugada desse sábado (13/06), ocasionou a liberação de odor típico do processo de branqueamento da celulose. A liberação foi sanada imediatamente após a sua detecção, mas o odor foi levado a bairros de Três Lagoas pela força do vento, devendo ser dissipado nas próximas horas.

A companhia lamenta o desconforto causado à população e reitera que esse odor não representa risco à saúde nem ao meio ambiente, conforme parâmetros legais e técnicos. Todo o processo produtivo da empresa segue rigorosas normas ambientais de exigência nacional e internacional.

Comentários