Especialista traz dicas de como assistir ao fenômeno formado por resíduos do cometa Halley

Um dos principais destaques astronômicos do final de ano, a chuva de meteoros Orionídeas, ocorre até o dia 7 de novembro e poderá ser observada com clareza na noite desta terça-feira (20) e na madrugada da quarta-feira (21).

O fenômeno, classificado pela American Meteor Society como uma chuva de meteoros de “média intensidade”, costuma ocorrer no mês de outubro, quando a Terra intercepta a órbita do cometa Halley, que passou por nós pela última vez em 1986.

Os resíduos desse cometa viajam a cerca de 238 mil km/h e, ao entrarem em atrito com a nossa atmosfera, acabam se tornando incandescentes e se queimam, possibilitando sua observação a olho nu. Mas, apesar de sua beleza, o espetáculo espacial costuma ser menos agitado do que as pessoas pensam, produzindo de 10 a 20 meteoros por hora.

Dicas para observar a chuva de meteoros:

Os meteoros costumam aparecer na região da constelação de Órion, por isso a chuva foi batizada de Orionídea. Então, para conseguir acompanhar o evento, deve-se olhar para o céu na direção leste e procurar pela região das famosas “Três Marias”. Na noite desta terça-feira, quando o fenômeno atinge o pico, a chuva deve começar por volta das 23h (horário de Brasília).

Para visualizar melhor, é recomendado procurar por áreas afastadas de prédios, pois eles podem acabar obstruindo a vista. Além disso, a poluição luminosa também pode atrapalhar a observação. Por isso, muitas pessoas preferem acampar em um local afastado da cidade e acompanhar a chuva de meteoros na madrugada, quando o céu fica mais escuro.

Conseguir tirar boas fotos desse evento também é um desafio, pois um registro de qualidade requer câmeras profissionais com lentes especiais. Então, o conselho é que apreciem o espetáculo com os próprios olhos e aproveitem o momento para relaxar!

*Cássio Barbosa é professor do departamento de Física do Centro Universitário FEI.

Comentários