Prefeito de Guia Lopes da Laguna fechou a cidade e moradores só poderão sair de casa duas vezes por semana; frigorífico que publicou mensagem solidária foi atingido pela contaminação e suspendeu atividades

Guia Lopes da Laguna, município de pouco mais de 10 mil habitantes vizinho a Ponta Porã, é a primeira cidade de Mato Grosso do Sul a decretar o fechamento total para contenção da Covid-19.

O prefeito da cidade, Jair Scapini, e o novo secretário de saúde, Marcelo Gonçalves de Almeida, anunciaram a decisão em uma live no Facebook. “Hoje são 12 casos confirmados na nossa cidade. Hoje coletamos 10 testes, e provavelmente na sexta ou sábado teremos os resultados. Por isso, fiquem em casa”. Marcelo assume a secretaria no lugar de Rakél Garcia Farias, que está grávida e se afastou da pasta.

A medida vale a partir de hoje, 8. Conhecida como “lockdown”, a restrição total de circulação é uma medida radical para impedir o avanço da doença.

O decreto foi publicado na noite de ontem, depois que 12 pessoas foram confirmadas com Covid-19 na cidade. A cidade aguarda o resultado de mais 10 testes.

Seis dos confirmados são funcionários do frigorífico Brasil Global que também já havia informado a suspensão de suas atividades por 15 dias.

O frigorífico é o mesmo que divulgou uma mensagem pedindo às pessoas para que ficassem em casa e deixassem apenas atividades essenciais funcionando.

Foto: O Pantaneiro

“Nós estamos aqui por vocês, produzindo seu alimento, #fiqueemcasa por nós”

“Fica restrito a circulação de pessoas no território de Guia Lopes da Laguna, que só poderão sair de suas casas duas vezes por semana e para cumprir alguma necessidade primária, como ir ao mercado e farmácia, portando, obrigatoriamente, documento de identificação com foto”, consta no decreto.

O lockdown

Segundo a decisão, pessoas nascidas entre janeiro e abril poderão sair às terças e sextas-feiras. Nascidas entre maio e agosto, às quartas e sábados. E os nascidos entre setembro e dezembro poderão sair às segundas e quintas-feiras. A saída de pessoas no domingo, só com algum tipo de motivo, como à ida a uma unidade de saúde, por exemplo, já que todo o comércio deve permanecer fechado.

A entrada e saída da cidade só será permitida a viaturas policiais, ambulâncias e caminhões, dentre outros veículos de órgãos considerados essenciais. A circulação de ônibus, táxis, moto táxis e até o estacionamento de veículos particulares nas ruas também está proibida.

Ainda conforme o documento, só será permitido o funcionamento de estabelecimentos considerados essenciais como hospitais, agências bancárias, funerárias e de delivery (até às 20h). Em ambos os locais o uso de máscaras e outras medidas de prevenção ao vírus deve ser seguida à risca.  A fiscalização será feita pela Polícia Militar e o decreto vale da 00h desta quinta-feira (7) até o próximo dia 14 de maio.

O contágio no frigorífico

Segundo a direção do frigorífico Brasil Global, a empresa havia afastado os funcionários do grupo de risco e mantinha um rigoroso controle de higienização para evitar o contágio.

No entanto, um caminhoneiro teve contato com dois funcionários do frigorífico no dia 24 de março. Cinco dias depois ele ligou e comunicou que estava com Covid-19. Os funcionários foram isolados e no dia 29 de março também testaram positivo para a doença.

No dia 4 de maio, o medidor de temperatura detectou quatro funcionários com febre. Eles foram mandados para casa, e dois dias depois, também testaram positivo para o novo coronavírus. Com seis casos confirmados o frigorífico decidiu suspender as atividades.

O frigorífico abate cerca de 400 animais por dia, e a previsão é ficar fechado até o dia 22 de maio. A empresa informou que todos os funcionários serão pagos normalmente nesse período e calcula um prejuízo de R$ 15 milhões, com a suspensão das atividades.

Comentários