20/09/2019 16h23

Sociedade se mobilizou e vaquinha virtual foi suficiente para cobrir os custos médicos; autor ainda não foi encontrado

Gisele Berto

Na manhã da última segunda-feira, 16, o cãozinho Toby, de apenas três anos, viveu os piores momentos da sua vida. Enquanto sua dona, Mileni Bruno, foi ao mercado, a casa foi invadida e o animalzinho foi brutalmente agredido a facadas, teve a orelha mutilada e a pele do pescoço arrancada.

O caso chocou Três Lagoas pelos requintes de crueldade. Mileni correu com Toby para a clínica Recanto Animal, no centro. Lá, ele passou por uma cirurgia de enxerto para a orelha.

Cinco dias depois, Toby se recupera bem. De acordo com Mileni, ainda há um longo caminho até a alta. Além da recuperação da cirurgia, Toby ainda desenvolveu um problema no fígado e precisa cuidar de uma anemia.

Apesar de Mileni ter registrado boletim de ocorrência, o autor da crueldade ainda não foi encontrado. “Procurei em todos os lugares que tinha câmera e me disseram que não estavam funcionando. Então, que a justiça seja feita perante a Deus! Não vou mais me preocupar com a pessoa que fez isso. Já sofri demais e o pior já passou. Quando Toby quando estiver melhor terá alta, virá para casa e vai seguir a vidinha dele da melhor maneira – só que com um pouco mais de cuidados e carinhos”, contou Mileni.

Sensibilizadas pela situação, muitas pessoas fizeram suas doações e ajudaram a bancar os custos da clínica. A vaquinha arrecadou mais do que a meta e, após o pagamento das custas de Toby, o dinheiro restante será doado. “Tenho prestado conta de tudo aos doadores e agradeço muito”, diz Mileni, que visita Toby todos os dias e não vê a hora de trazer seu amiguinho para casa.

Depois desses dias todos de sofrimento, Mileni começa a voltar a sorrir com o animalzinho. “Ele está sendo muito mimado. Fiz uma selfie com ele na clínica e disse que ele ficou famoso. Aí ele fez cara de coitadinho”, lembra.

Mileni e Toby, na clínica. Foto: Arquivo Pessoal

Além da

Comentários