01/11/2016 07h26

AMADURECIMENTO

 

Nem bem se elegeu prefeito de Campo Grande e o deputado estadual Marquinhos Trad (PSD) deu a primeira lição de como um agente público deve agir, independentemente de ideologias partidárias, afinal está em jogo o interesse popular em uma boa administração. Ontem mesmo se reuniu com um de seus adversários. "Ainda pela manhã, encontrei o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e fechamos uma parceria. Vamos trabalhar em conjunto para realizar uma grande administração para o bem de Campo Grande e de Mato Grosso do Sul", postou Marquinhos em sua página no facebook.

RESPOSTA

A abstenção de votos em Campo Grande superou a média nacional de 20% e chegou a mais de 22% no segundo turno dessas eleições municipais. Esse foi um duro recado à classe política, que tem usado e abusado da boa vontade do povo. Chegou a vez do troco e ele veio de forma silenciosa. Quem não aprender dessa vez não aprende nunca mais, pois da próxima a coisa pode ser ainda mais séria. Fica aqui o alerta a todos aqueles que vão às urnas em 2018. Tudo pode se repetir.

BATOM NA CUECA

As redes sociais continuam a fazer suas vítimas pelo país afora. E por aqui não é diferente. Uma gravação telefônica entre dois figurões acabou se transformando em domínio público e colocou em cheque o poder do qual eles fazem parte. Certamente, o caso já deve ter virado objeto de investigação no Ministério Público Estadual. Afinal, o órgão tem a prerrogativa e a obrigação de esclarecer o lado obscuro de fatos que dizem respeito à questão pública e pedir punição se houver crime.

INDECISÃO

Mesmo com pesada punição da Justiça e até com direitos políticos cassados por 8 anos, o vereador Paulo Siufi (PMDB) pode virar deputado no ano que vem na vaga de Marquinhos Trad (PSD), eleito prefeito da Capital. Segundo suplente da coligação que elegeu Marquinhos a deputado estadual, em 2014, contou também com a eleição de Délia Razuk (PR) a prefeita de Dourados. Ela era a primeira da lista para assumir a vaga, mas deixou o espaço livre a ele. Agora é continuar vereador ou assumir a Assembleia.

MULTAS

As multas de trânsito ficarão mais caras no país a partir desta terça-feira, 1.º de novembro. Esse é o primeiro reajuste no preço das infrações em 16 anos. As mudanças são o resultado de uma lei sancionada pela então presidente Dilma Rousseff (PT), em maio. O valor passará dos atuais R$ 53,20 para R$ 88,38, uma correção de 66%. Já as multas consideradas gravíssimas, hoje R$ 191,54, passarão para R$ 293,47 –um crescimento de 53%.

Envie seu Comentário