04/11/2016 16h10

NITROGLICERINA

 

Os envolvidos nas obras do Aquário do Pantanal não esperavam que uma mulher de Santa Catarina pudesse contar o que sabe sobre a relação da empresa onde ela trabalhou com o esquema de propina que rolou entre eles. No depoimento, ou melhor, na delação que fez com o MPE, ela detalha tudo sobre o esquema envolvendo a Fluidra Brasil Indústria e Comércio e o ex-deputado federal e ex-secretário de Obras, Edson Giroto (PR).

Essa é mais uma prova do desvio do dinheiro público.

AJUSTES

A PEC que limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos e já aprovada no plenário da Câmara Federal começa a fazer suas primeiras vítimas: os barnabés. Diante dessa nova realidade e da nova lei, não resta alternativa ao governo de Mato Grosso do Sul senão a de demitir servidores comissionados e promover um verdadeiro enxugamento da máquina administrativa.

Fala-se, inclusive, que 20% dos funcionários nessa situação vão para a guilhotina.

PROTEGIDO

Ao menos está seguro o pastor que gravou o áudio da conversa entre os deputados Felipe Orro (PSDB) e Paulo Corrêa (PR) e denunciou os dois ao Ministério Público. Digo seguro porque ele foi um dos apoiadores da campanha do deputado licenciado Barbosinha (PSB), atualmente no comando da secretaria de Justiça e Segurança Pública, em Maracaju.

Ele até já foi reconhecido pelo socialista de que seu trabalho por lá foi de grande valia no cômputo final dos votos.

ESPINHOS

Após o fim da lua de mel com o eleitorado de Capital, Marquinhos Trad (PSD) vai pegar um problema dos diabos a partir de janeiro quando suceder o agora companheiro Alcides Bernal (PP), de quem teve apoio no segundo das eleições para prefeito em 30 de outubro. Herdará uma dívida de R$ 424 milhões da prefeitura. A dívida é proveniente de compromissos com instituições financeiras para financiamento de obras, débitos com a previdência municipal e com a União.

De acordo com o progressista, o montante está parcelado e vem sendo pago.

EVAPOROU

Após eleger os prefeitos que comandarão a maior fatia da população brasileira, o PSDB prevê conquistar uma bancada de 80 deputados federais em 2018, contra 54 eleitos no último pleito. Já o PT estima que pode perder metade de seus 59 deputados, destaca a coluna Painel, da Folha.

Pior está o partido de Lula e Dilma, que além de ser um verdadeiro fiasco nas eleições municipais deste ano, corre contra o tempo na tentativa de impedir uma debandada na Câmara e no Senado.

Envie seu Comentário