Roçadeiras, trituradoras, enfardadeiras e balanças estavam previstas no Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial e irão beneficiar mais de 770 famílias de 11 comunidades de Três Lagoas e região

Com apoio da Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, agricultores familiares passaram a contar com 24 equipamentos e maquinários agrícolas para melhorar a produção e comercialização de alimentos na região Leste de Mato Grosso do Sul.

A entrega faz parte do cronograma de ações previstas para 2020 do Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial, mantido pela empresa com o objetivo de fortalecer a agricultura familiar e gerar trabalho e renda no campo.  Ao todo, os equipamentos, que variam de balanças digitais com capacidade para 300 quilos e trituradoras à roçadeiras e enfardadeiras de silagem, vão beneficiar em torno de 770 famílias de 11 comunidades apoiadas pelo programa.

“O Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial da Suzano visa promover a independência financeira das comunidades rurais apoiadas, aprimorando técnicas e potencializando a aptidão já existente em cada comunidade.  Para isso, temos um cronograma de ações e etapas para cada uma delas que, prevê, por meio de consultoria técnica e especializada, a qualificação dessas famílias. Estas ações foram mantidas mesmo durante a pandemia do novo coronavírus. Todas as reuniões e consultorias estão acontecendo de forma remota, seguindo as normas de segurança”, ressalta Evânia Lopes, consultora de Desenvolvimento Social da Suzano.

Boa parte dos equipamentos entregues, explica Evânia, visa melhorar o manejo e a produção no campo, seja no cultivo de alimentos agroecológicos, como é o caso das roçadeiras e triturador, ou na produção leiteira, outro forte da região, com a geração e estocagem da silagem para alimentar o gado em períodos de estiagem. As balanças visam levar maior eficiência nas operações de comercialização dos produtos.

“Esses equipamentos vão ajudar no manejo do solo, já que a gente não usa produtos químicos, e para melhorar a qualidade da alimentação dos animais. O programa da Suzano foi e ainda é de extrema importância para gente. Desde que começamos a trabalhar com eles, a gente só teve a ganhar. Hoje, tudo que a gente conseguiu na parte da associação, com documentação, informação, se deve a eles. Até de fim de semana, a gente procura os meninos [consultores do programa] e eles nos atendem”, completa Josina Cleuza Moreira da Silva, presidente da Associação dos Produtores do Assentamento Alecrim, de Selvíria.

Com 89 famílias, a comunidade rural Alecrim recebeu uma balança eletrônica, roçadeira, triturador forrageiro e enfardadeira de silagem. Ao todo, foram entregues: cinco balanças, uma seladora, uma colhedora de forragem, seis roçadeiras, quatro enfardadeiras, uma plataforma recolhedora de forragem, uma distribuidora de adubo e sementes, quatro trituradores e um motocultivador.

Fotos: Divulgação/Suzano

Transformação no campo

Josina recorda que a parceria com o programa da Suzano, chegou em um momento em que a associação e os produtores estavam passando por momento difícil. “Estávamos todos desanimados e eu posso dizer que foi o nosso braço direito e esquerdo naquele momento. A ajuda da Suzano na nossa vida foi muito grande e mesmo as pessoas que não participavam do programa sentiram a diferença”, destaca.

Em Mato Grosso do Sul, o programa teve início em 2012 com uma comunidade e 69 famílias apoiadas. Hoje, a iniciativa se faz presente em quatro municípios (Três Lagoas, Brasilândia, Selvíria e Santa Rita do Pardo), com 15 comunidades e 1.065 famílias beneficiadas no Estado. Por conta da pandemia de Covid-19, o atendimento técnico às comunidades passou a ser de forma remota, utilizando aplicativos de troca de mensagens e reuniões online para falar com os produtores.

Comentários