20/11/2018 14h04

Com aulas de canto para internas, presídio de São Gabriel do Oeste incentiva disciplina e ressocialização

Há dois meses, foi criado no presídio o coral Rosa de Saron, que tem contribuído na disciplina e comportamento das internas através das aulas de canto

Redação

Considerada o “alimento da alma” e um meio de expressar sentimentos, a música tem sido utilizada como alternativa para o tratamento penal de reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino de São Gabriel do Oeste.

Há dois meses, foi criado no presídio o coral Rosa de Saron, que tem contribuído na disciplina e comportamento das internas através das aulas de canto.

A arte musical também ajuda o cérebro a funcionar melhor, pois faz com que regiões diferentes sejam ativadas, melhorando, assim, a capacidade de memória e raciocínio de quem toca ou canta.

O projeto de musicalização é realizado pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio da direção da unidade prisional, em parceria com a prefeitura, através da Fundação de Cultura.

Atualmente, o coral conta com a participação de 21 internas. Com aulas semanais, os professores João Victor Fiorentin e Marcos Vinícios Dadalt buscam possibilitar momentos de aprendizado e socialização entre as detentas, além de incentivá-las a ter um espírito de equipe.

Para a assistente social e coordenadora do projeto na unidade, agente Cristiane da Silva Sobrinho, é de suma importância a participação das custodiadas durante as atividades, já que representa momento de interação com as demais, proporcionando um sentimento agradável de bem-estar através da música.

Segundo o diretor do presídio, Albino Gonçalves Lima Júnior, o coral também tem contribuído para a disciplina das reeducandas, tornando o ambiente da unidade mais harmônico.

“Vale destacar que as custodiadas irão fazer apresentação para as demais na celebração do almoço do Natal”, afirmou.

(*) Informações Portal MS

A arte musical também ajuda o cérebro a funcionar melhor

Comentários