10/05/2016 17h49 – Atualizado em 10/05/2016 17h49

O contrato assinado pela Fibria garante parte do investimento que a indústria de celulose está fazendo no Projeto Horizonte 2 em Três Lagoas – o custo total da obra é de R$ 7,7 bilhões

Assessoria

Mato Grosso do Sul garantiu na manhã desta terça-feira (10), o andamento dos investimentos da expansão da indústria de celulose da Fibria em Três Lagoas, que irá proporcionar um incremento na ordem de R$ 2 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. Em Brasília, representando o governador Reinaldo Azambuja, o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck participou do ato de assinatura do contrato da Fibria junto à Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) e ao Ministério da Integração Nacional, no valor de R$ 831 milhões, provenientes do Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO).

O evento contou com a presença do ministro da Integração Nacional, Josélio de Andrade Moura, do superintendente da Sudeco, Cleber Ávila Ferreira e representantes da Fibria e do Banco do Brasil. De acordo com o secretário, a política de atração de investimentos implantada na gestão do governador Reinaldo Azambuja fez com que o Estado ficasse com a maior parte dos recursos destinados ao FDCO no ano de 2015. “Dos R$ 1,2 bilhão disponíveis no Fundo no ano passado para toda a região Centro-Oeste, Mato Grosso do Sul já ficou com 70% desse montante, com os R$ 831 milhões contratados pela Fibria”, informou Jaime Verruck.

De acordo com secretário, “o projeto da Fibria traz um horizonte extremamente significativo para o Estado no que diz respeito ao desenvolvimento econômico. Ele irá permitir um crescimento do PIB total na ordem de 3 a 4% (cerca de R$ 2 bilhões, tendo como base o PIB de R$ 54 bilhões em 2013). A ação do governo do Estado em buscar esse recurso do FDCO para empreendimentos estruturantes em Mato Grosso do Sul foi fundamental e tem impacto na economia estadual e nacional”.

O contrato assinado pela Fibria garante parte do investimento que a indústria de celulose está fazendo no Projeto Horizonte 2 em Três Lagoas – o custo total da obra é de R$ 7,7 bilhões . “Com essa iniciativa, vamos mais que duplicar a nossa capacidade de produção no Mato Grosso do Sul, que saltará para mais de 3 milhões de toneladas de celulose por ano, transformando a nossa unidade de Três Lagoas em uma das maiores e mais modernas do mundo”, afirma Paulo Silveira, diretor industrial da Fibria.

“Esse apoio do FDCO, da Sudeco e do governo de Mato Grosso do Sul é de grande importância para o nosso projeto de ampliação da Unidade da Fibria em Três Lagoas, que irá gerar emprego e renda, melhorando a vida das pessoas, respeitando o meio ambiente e gerando desenvolvimento econômico e social para a cidade, para o estado e para o Brasil”, avalia Guilherme Cavalcanti, diretor de Finanças da Fibria.

O secretário Jaime Verruck acrescentou ainda que o projeto coroa a representação da Sudeco e FDCO no Centro-Oeste. “É preciso destacar a agilidade no processo de liberação dos recursos e como isso beneficiará a nossa região, possibilitando aumento no número de empregos e renda. As mudanças recentes no FDCO também serão importantes para Mato Grosso do Sul”, finalizou.

O Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO) é administrado pela Sudeco e tem por finalidade assegurar recursos para a realização de investimentos em infraestrutura, serviços públicos e empreendimentos produtivos de grande capacidade germinativa de novos negócios e atividades produtivas, com prazo de até 20 anos para pagamento, além das taxas de juros mais baixas do mercado.

(*) Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade)

Em Brasília, representando o governador Reinaldo Azambuja, o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck participou do ato de assinatura do contrato da Fibria. (Foto: Assessoria)

Foto oficial dos presentes na assinatura do ato de assinatura do contrato. (Foto: Assessoria)

Comentários