03/07/2017 09h37

Equipe multidisciplinar estruturou o projeto 12 meses antes do início das obras e pré-definiu ações para a prevenção de acidentes

Redação

Com foco na melhoria contínua de suas práticas industriais, a Fibria busca incansavelmente a meta de eliminação de acidentes em suas operações. Comprometida com a segurança e a saúde de seus profissionais, a três meses da inauguração da sua nova linha de produção de celulose em Três Lagoas (MS), a empresa comemora o baixo índice de acidentes durante a execução da obra.

Desde junho de 2015 até os dias atuais, mais de 21.000 profissionais, entre próprios e terceiros, de cerca de 300 empresas, trabalharam nas obras do projeto Horizonte 2. Durante o ano de 2016, a Fibria registrou 0,37 acidentes com afastamento para cada milhão de horas-homem-trabalhadas (HHT). O número é uma referência mundial na construção de grandes obras. Se considerar os comunicados de acidentes sem afastamento, a taxa é de 5,82 para cada milhão de horas-homem-trabalhadas (HHT).

“O nosso sistema de gestão de Saúde e Segurança do Trabalho contempla ferramentas e práticas que direcionam para a prevenção de acidentes, incidentes e doenças ocupacionais, definidas a partir de um levantamento de parâmetros mundiais realizado pela companhia. Isso fez com que a gestão da segurança virasse parte da rotina e não apenas uma exigência”, diz Júlio Cunha, diretor de engenharia e projetos da Fibria.

Para alcançar esses resultados, 12 meses antes do início da construção da segunda linha de produção da Fibria em Três Lagoas, um time multidisciplinar composto por centenas de profissionais estruturou o projeto de execução, visitou operações semelhantes que estavam em andamento fora do país e mapeou os fornecedores. Com base nessas informações, várias ações para a prevenção de acidentes foram analisadas e colocadas em prática na obra.

Dentre as estratégias está o Diálogo Diário de Segurança (DDS) que, minutos antes do início das tarefas diárias dissemina dicas e alertas sobre a prática de atitudes seguras. Capacitações e reciclagens também integram a lista. Desde o início da obra, em junho de 2015, os trabalhadores já passaram por 1 milhão e 30 mil horas de treinamento.

Além da participação dos profissionais junto às ações de conscientização, uma vez por semana os gerentes de cada área da empresa, bem como das empresas terceiras, realizam uma vistoria pela fábrica com a finalidade de enxergar possíveis irregularidades que possam ocasionar acidentes ou incidentes. Feito esse monitoramento, relatórios técnicos são produzidos e, caso seja avaliada alguma possibilidade de melhoria no local, os gestores já atuam de forma rápida e estratégica.

Atendimento diferenciado

Dentro da obra de expansão da Fibria, os profissionais contam com um ambulatório de pronto atendimento de urgência e emergência, supervisão médica e consultas, que atende 24h. A estrutura contempla três consultórios, leitos e banheiros masculinos e femininos, farmácia, sala de esterilização, copa e recepção. Um dos destaques é a Sala de Emergência, que possui todos os recursos para uma reanimação cardiorrespiratória. A equipe é formada por 21 profissionais, entre administrativos e corpo clínico.

O ambulatório ainda possui duas ambulâncias, sendo uma delas de remoção simples para atendimento pré-hospitalar, e outra avançada, ou seja, que também contém equipamentos e estrutura de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) móvel.

Sobre a Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos oriundos da floresta. Com capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, a companhia conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a Stora Enso.

A companhia possui 1,056 milhão de hectares de florestas, sendo 633 mil hectares de florestas plantadas, 364 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 59 mil hectares destinados a outros usos. A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 40 países. Em maio de 2015, a Fibria anunciou a expansão da unidade de Três Lagoas, que terá uma nova linha com capacidade produtiva de 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano, e entra em operação no terceiro trimestre de 2017. Saiba mais em (Fibria)[www.fibria.com.br]

(*) Assessoria de Comunicação Fibria

Desde junho de 2015 até os dias atuais, mais de 21.000 profissionais, entre próprios e terceiros, de cerca de 300 empresas, trabalharam nas obras do projeto Horizonte 2. (Foto/Divulgação)

Comentários