Ela vai usar tornozeleira eletrônica até que receba alta médica, no final da quarentena

Uma mulher de 41 anos, que testou positivo para Covid em Ponta Porã e que se recusa a cumprir a quarentena obrigatória, teve a prisão domiciliar decretada e foi obrigada ao uso de tornozeleira eletrônica para que permaneça dentro de casa. As informações são do site MS Em Foco.

A ordem veio do juiz Marcelo Guimarães Marques, da 2ª Vara Criminal de Ponta Porã. Técnicos da secretaria de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP) estiveram na manhã desta terça-feira na casa da mulher para a colocação da tornozeleira eletrônica.

Agora a paciente desobediente passará a ser monitorada eletronicamente já que vinha descumprindo sistematicamente às ordem judiciais e as recomendações médicas de cumprir quarentena em casa. No final de semana ela procurou um posto de saúde e também deixou a residência dela no sábado e só voltou na noite de domingo. Desde então a casa dela vinha sendo vigiada por homens da Guarda Civil de Fronteira.

A colocação do aparelho foi rápida. Os técnicos vestiam equipamentos de proteção individual e deixaram o local logo depois de concluir a instalação e explicar para a mulher como funciona o sistema.

Ela ficará em prisão domiciliar até o final da quarentena e receber alta médica.

Comentários