10/04/2019 16h13

Apesar de ter remédios para tratamento da doença, família precisa da doação de combustível para o transporte; Posto Parati está recebendo doações

Gisele Berto

Mais uma vez, a solidariedade do três-lagoense pode mudar o destino de uma pessoa. No caso, um menino de 13 anos.

O jovem Pedrinho, mora no Jardim das Hortências, em Três Lagoas. O pai dele, com 45 anos, é cadeirante e faz redes de pesca sob encomenda. Quem ajuda a cuidar de Pedrinho é a tia, Rosimeire Pires da Silva.

Pedrinho teve um abscesso nas nádegas. Já fez sete cirurgias, passou 3 dias pela CTI e passou 38 dias no hospital, entre Três Lagoas e Campo Grande.

Como ele ainda tem 50 dias de antibiótico, os médicos decidiram mandá-lo para casa, para evitar novas infecções, já que ele acabou adquirindo uma infecção no pulmão durante a internação.

A medicação na veia é dada por uma enfermeira, que vai à casa da família todos os dias.

AS DIFICULDADES

Apesar dele ter todos os medicamentos, fornecidos pelo Hospital, a principal dificuldade da família tem sido a locomoção ao hospital e o custo com o combustível.

Pedrinho vai de duas a quatro vezes por semana no médico – fora os exames. O tratamento demorará pelo menos 50 dias, que é o tempo do antibiótico.

“Hoje eu fui com R$ 20 no carro. Amanhã eu não sei como vai ser”, contou a tia do menino.

COMO AJUDAR

O Posto Parati, do empresário Márcio Hirade, localizado na esquina das ruas Olinto Mancine com Filinto Muller, ao lado do Big Mart, está abrindo uma conta para doações. Quem puder ajudar, é só chegar no posto e dizer que quer doar qualquer quantia para a conta do Pedrinho ou da tia dele, Rosimeire.

Pedrinho, 13 anos, precisa de ajuda para ir ao médico. Foto: Ricardo Ojeda

Comentários