14/03/2012 16h50 – Atualizado em 14/03/2012 16h50

“Saúde na Comunidade” orienta população contra dengue e leishmaniose

Programa “Saúde na Comunidade” orienta e envolve a população nas ações de buscam diminuir focos de mosquitos que transmitem dengue e leishmaniose

Adriano Vialle

Três Lagoas registra aumento do número de focos de larvas do mosquito transmissor da dengue, embora a Prefeitura comemore a redução dos índices de casos da doença. Mas a expectativa é de reduzir os focos e seguir reduzindo as taxas, por isso o programa “Saúde na Comunidade” está buscando conscientizar e envolver a população nas ações, que agora estão sendo realizadas também para combater os focos do mosquito que transmite a leishmaniose.

Em 2011 houve registros de 973 casos notificados e 313 confirmados. Neste ano, nos três primeiros meses, já são 1.227 casos notificados e 391 confirmados, conforme dados repassados ao Perfil News por Neide Hiroko Yuki da Silva, diretora de Vigilância e Saúde do município.

Com o resultado do novo Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (Lira) apontando que em 1% do município de Três Lagoas medidas foram tomadas com urgência, a Prefeitura desenvolve desde o dia 7 a campanha “Saúde na Comunidade”, com o objetivo de orientar e educar moradores e recolher entulhos como sucatas, folhas, latas, trabalhas, madeiras, garrafas, e todo tipo de sujeira que sirva de criadouro para transmissores da dengue e leishmaniose.

De acordo com o coordenador de educação e saúde Fernando Garcia de Brito, são oito setores onde as equipes desenvolverão ações coletivas. O trabalho é feito em várias frentes, iniciando com a conscientização. O processo educativo é importante porque multiplica o número de pessoas combatendo o mosquito. “Fazemos medidas preventivas e de segurança orientando para os riscos e precauções que a população deve tomar, e logo a prática que é a coleta do entulho que pode virar criadouro”, explicou.

O instrutor em saúde Waldir José de Souza informou que o mutirão conta com 8 setores e que pretendem orientar toda a população três-lagoense até o final do ano. “Contamos com cerca de 60 pessoas, sendo agentes comunitários, soldados do exército e agentes de endemias. O primeiro passo foi o setor 5, ocorrendo nos bairros: Nossa Senhora Aparecida, Vila Zuke, Santa Rita e Jardim Brasília. Esses bairros foram os primeiros atendimentos pela campanha devido o maior foco de suspeito com a doença na cidade”, informou.

Walmir disse que a campanha começou no dia 7 com orientações e cerca de 30 caçambas serão espalhadas em locais estratégicos até o dia 12. “A população está aceitando bem, recebem os agentes elas estão mais conscientes”, disse.

O morador do bairro Nossa Senhora Aparecida, José Silveira, aprova essa iniciativa. “A conscientização parte da gente mesmo e temos que cuidar do nosso quintal para que doenças não apareçam”, comentou.

Os próximos bairros é o chamado setor 4 abrangendo: Santos Dummont, São Carlos, São João, Guanabara, Vila Carioca e Conjunto Habitacional São João.

Agentes comunitários orientam sociedade sobre prevenções contra dengue e leishmaniose. (Foto: Adriano Vialle)

Cerca de 30 caçambas serão distribuidas em pontos estratégicos para moradores jogar entulhos
Foto: Adriano Vialle

Comentários