10/06/2015 17h29 – Atualizado em 10/06/2015 17h29

Apesar da retração econômica, Mato Grosso do Sul lidera com R$ 30 bilhões, liderando o ranking nacional em investimentos privados. Só em Três Lagoas, industrias de celuloses vão investir R$ 15.700 bilhões na ampliação das linhas de produção

Assessoria

Nesta quarta-feira (10) representantes das Federações do Comércio, Serviços e Turismo, Indústria, Agropecuária, do Sebrae/MS, governo estadual e instituições financeiras, participaram da segunda reunião do Comitê de Monitoramento da Crise, onde cada um apresentou seus números que demonstram um cenário favorável ao Estado.

A primeira apresentação foi do economista Ezequiel Martins, da Fiems, que apresentou os dados que demonstram a retração no setor industrial.

PANORAMA

O secretário de Fazenda, Márcio Monteiro, também apresentou um panorama, que aponta redução de 13,28% na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nos cinco
primeiros meses deste ano.

Por outro lado, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Jaime Verruck, lembrou que neste momento nenhum outro Estado recebe o volume de investimentos privados que está em curso em Mato Grosso do Sul: R$ 30 bilhões, concentrados justamente no setor secundário.

ACIMA DA MÉDIA

A economista do Instituto de Pesquisa da Fecomércio_MS, Regiane Oliveira Dedé, apresentou números do comércio, embora com retração no consumo e na confiança dos empresários, ainda acima da média nacional. E também a redução do nível de endividamento. Da mesma forma a apresentação da economista da Famasul, Adriana Mascarenhas, mostrou um cenário positivo para o campo.

Os superintendentes do Banco do Brasil, Evaldo Emiliano de Souza, e da Caixa Econômica Federal, Paulo Antunes de Siqueira, destacaram o volume de recursos investidos e disponível para investimentos. Paulo Antunes ponderou que é preciso lembrar que as notícias sobre crise reforçadas diariamente produzem efeitos mais negativos do que o momento econômico por si só.

FÔLEGO

Opinião compartilhada pelo presidente da Fecomércio-MS, Edison Araújo, que lembrou, inclusive, que na próxima segunda-feira o primeiro lote de restituições do Imposto de Renda injetará R$ 26 milhões na economia Estadual. “Os investimentos e disponibilidade de dinheiro para o mercado são positivos e o que precisamos é acreditar na potencialidade de desenvolvimento do nosso Estado e da mesma forma os consumidores acreditarem na segurança de seu emprego e da economia. Estamos muito acima da média nacional e temos fôlego”.

Ao final da reunião, o presidente da Fiems, Sérgio Longen, propôs a criação de grupos de trabalho para atacarem áreas específicas, como a qualificação de fornecedores e ações relacionadas ao crédito.

Desempenho da economia estadual acima da média nacional deu o tom à segunda reunião do Comitê de Monitoramento de crise (Foto: Assessoria)

Embora o quadro apresenta uma retração no consumo os investimentos em MS ainda acima da média nacional (Foto: Assessoria)

Comentários