19/07/2019 15h12

Em entrevista ao Perfil News, o Prefeito Ângelo Guerreiro falou sobre a reunião realizada ontem em Campo Grande e a expectativa para o encerramento do assunto

Gisele Berto

“Os russos estão animados e decididos a comprar a UFN3 e começar as obras o quanto antes”. Essa foi a impressão do prefeito de Três Lagoas, Angelo Guerreiro, a respeito da reunião realizada ontem, 18, em Campo Grande.

A reunião, segundo Guerreiro, foi uma surpresa. “Pensamos que estariam apenas representantes da Petrobrás, mas quando vimos estava toda a equipe da Acron e os Secretários de Governo”, disse.

Na pauta, além da retomada das obras, a prefeitura pediu um posicionamento das empresas a respeito da quitação da dívida milionária que o Consórcio UFN3 deixou nas mãos de diversos empresários de Três Lagoas. “Era um assunto que ninguém queria falar, mas precisamos saber para dar uma resposta ao nossos empresários”, disse Guerreiro.

De acordo com o Prefeito, a Acron está comprando apenas os ativos da UFN3, e não suas dívidas. O calote deve ser mesmo pago pela estatal. “Existem dois processos judiciais correndo, um contra o Consórcio UFN3 e outro contra a Petrobrás, e os representantes da Petrobrás disseram que farão a quitação desses débitos”, afirmou Guerreiro.

CRONOGRAMA

Aparentemente a novela está chegando ao capítulo final. Detalhes fiscais separam a russa de bater o martelo na compra da planta da Unidade de Fertilizantes. “Eles pediram que o Governo do Estado repassasse para eles os incentivos fiscais que eram da Petrobrás. O Governo atendeu e ainda concedeu 10% de desconto no ICMS para a compra de equipamentos importados. A coisa está bem encaminhada”, disse o prefeito.

Com isso, o relógio volta a andar e o cronograma de retomada das obras começa a ser estabelecido. Os russos têm até 23 de agosto para assinar o contrato com a Bolívia para fornecimento de gás. Para assinar esse contrato, eles precisam de uma prorrogação do prazo de início das obras para mais dois anos – e é a Câmara de Três Lagoas quem precisa preparar esse documento. “Vamos repassar isso para os vereadores e, ainda que precisem chamar uma sessão extraordinária, resolveremos essa questão a tempo. Se soubéssemos que seria uma reunião com os representantes da Acron teríamos convidado o presidente da Câmara, André Bittencourt, para ele se inteirar dos assuntos, mas vamos repassar tudo para ele”, afirmou Guerreiro.

Até 31 de agosto os russos querem estar com todas as autorizações e licenças em mãos e assinadas para amarrar pontas soltas até o final do ano. Dessa forma, até 31 de dezembro já haverá o anúncio da retomada das obras logo em janeiro do ano que vem.

APOIO FEDERAL AO CRESCIMENTO DA CIDADE

Com a retomada das obras da Unidade de Fertilizantes e das empresas-satélite (cerca de 20) que virão para a cidade, Três Lagoas se colocará, novamente, como um canteiro de obras, e receberá operários de vários lugares do Brasil. Com a expertise obtida das obras das indústrias de celulose e da própria UFN3, a prefeitura está ciente de que, mais do que progresso, essa explosão democrática causa gargalos sociais. “Vamos nos preparar para receber essas empresas e, por isso, vamos buscar apoio especialmente do Governo Federa, que, com a arrecadação do COFINS, é quem mais vai ganhar com a produção da fábrica”, afirmou. O município e o Governo do Estado oferecem incentivos, que não ocorrem com os tributos federais.

Dessa forma, e identificando na saúde o principal gargalo da cidade, o prefeito se reunirá com o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para traçar um plano e pedir um aporte de verbas para minimizar o impacto da explosão populacional.

Confira a entrevista completa no vídeo abaixo.


Reprodução Youtube


Comentários