21/08/2019 14h06

Recuperação do imóvel histórico será feita com recursos de compensação da CESP; espaço deve abrigar um museu ou centro cultural

Gisele Berto

A Prefeitura de Três Lagoas anunciou na manhã de hoje, 21, o início das obras de restauração do Consulado Português.

Construído em 1914, o “Consulado Português” foi a morada de Theotônio Mendes, vice-cônsul de Portugal. Na década de 1920, enquanto abrigou a sede do consulado de Portugal em Três Lagoas, ganhou as características atuais de arquitetura.

Foi tombado pelo Patrimônio Histórico, por decreto, em 1998, na gestão do ex-prefeito Issam Fares. A Lei Municipal 2.780, de 17 de dezembro de 2013 oficializou o tombamento do edifício.

O Projeto de Restauração do edifício foi feita pela empresa goiana Retro Projetos de Restauro e custou R$ 137 mil. Em maio deste ano a prefeitura abriu licitação para execução da obra. A empresa Bergamo Construtora venceu e deve executar o trabalho no prazo de 15 meses. O custo da restauração, de R$ 650 mil. O custo da obra virá de verbas compensatórias da CESP.

Joaquim Pauliquevis, herdeiro de Theotônio Mendes, que era o dono do imóvel e vice-cônsul de Portugal no Brasil, participou da cerimônia.

EXIGÊNCIA DO MP

A restauração do Casarão Português foi uma exigência do Ministério Público que, em 2015, entrou com uma ação contra a prefeitura exigindo a preservação do edifício. A Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos de Três Lagoas, então, condenou a prefeitura da cidade a restaurar o prédio histórico.

Para o Promotor do Meio Ambiente, Antonio Carlos Garcia de Oliveira, o anúncio do início do restauro é uma vitória. “O dia de hoje foi uma luta que desbravei com vários prefeitos e nenhum cumpriu com a promessa”, afirmou o promotor.

Pauliquevis visitou o imóvel com o prefeito Angelo Guerreiro. Ele morou no imóvel entre 1991 e 1995. Ele apresentou os ambientes da casa, agradeceu o empenho, apoio e comprometimento de todos para a realização da restauração.

Durante seu discurso, o prefeito deu uma dica da destinação que será dada ao imóvel: “Nós temos um compromisso com a cidade. Quando o recurso da CESP entrou eu já pensei logo aqui e esperamos que este imóvel sirva a população sendo futuramente um museu, um acervo cultural como bem disse o promotor Antônio Carlos”, disse.

Perspectiva artística da restauração do Consulado Português.

Comentários