Aguardada há anos, obra, que contará com dois viadutos, uma ponte sobre o córrego da onça. A obra após concluída vai desafogar o trânsito na Ranulpho Marques Leal e nas avenidas, Fillinto Muller e Clodoaldo Garcia. Veja aqui todos os detalhes

Após anos de espera a tão aguardada obra do Contorno Rodoviário de Três Lagoas vai sair do papel para a execução em definitivo. O crescimento acelerado da cidade fez acentuar a necessidade do contorno que estava sendo discutido desde 2009.

Uma empresa do Rio Grande do Sul foi contratada para fazer o Estudo de Viabilidade Técnico e Econômica para implantação do empreendimento. A outra etapa ocorreu através de parcerias das indústrias Fibria e Eldorado Brasil, que contratara a Maia Melo Engenharia, que veio do estado do Pernambuco para fazer o projeto do contorno.

Para isso os trabalhos topográfico, hidrológico, geodésico e geométrico já estão em curso, inclusive com aproximadamente 25 pessoas em um ponto do trajeto e outra quantidade semelhante em outro local. Já no pico na obra, terá aproximadamente 500 trabalhadores.

CRONOGRAMA

Tão logo fiquem concluídos esses levantamentos será iniciada a segunda parte do cronograma, que consiste no trabalho de máquinas pesadas, delineando a olhos vistos o traçado. A empreiteira SA Paulista será a responsável pela execução da obra, que está prevista para ser concluída em dois anos. Isso caso não ocorra nenhuma intercorrência, como intempéries que possam atrapalhar o cronograma.

Ao todo o trajeto terá 26 Km e 460m e ligará a primeira rotatória, logo após a ponte sobre o rio Paraná, à BR 262, próximo da linha férrea. O traçado passará pelo Cinturão Verde, segue em frente da Cargill, passa alguns metros depois da entrada do presídio de Segurança Média, cruzando a BR 158, onde será construído um viaduto, até chegar na BR 262.

INTERSECÇÃO NA BR 158

Nessa intersecção será construído outro viaduto que fará ligação com a BR 158, que liga a Selvíria, no KM 262, no trecho entre o residencial Montanine e a intersecção da MS 320. Assim todo o tráfego que utiliza a BR 158, vindo de Minas Gerais e Goiás não passará mais pelo perímetro urbano de Três Lagoas, desafogando o trânsito na Ranulpho Marques Leal e nas avenidas, Fillinto Muller e Clodoaldo Garcia.  

A concepção do projeto vem sendo desenvolvida e monitorada pela unidade local do DNIT de Três Lagoas. Cada detalhe foi meticulosamente analisado, respeitando as questões ambientais, além da viabilidade econômica.  O projeto é considerado estratégico para a logística. Será uma intersecção multimodal que vai atender, além do transporte rodoviário, o ferroviário e fluvial.

O custo da obra ficará em torno de R$ 150 milhões, que serão iniciados com recursos de emendas da bancada federal de Mato Grosso do Sul, tendo a frente a senadora Simone Tebet.

Comentários