10/06/2015 16h29 – Atualizado em 10/06/2015 16h29

A situação dos comerciantes do Shopping Popular foi colocada em pauta, na sessão desta terça-feira (09)

Assessoria

Os comerciantes procuraram os vereadores buscando apoio para resolver a questão dos contratos dos boxes. De acordo com o presidente da Associação do Shopping Popular, Genivaldo Alves Cordeiro, dois pontos do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado em 2010, entre a Prefeitura e os comerciantes, tem gerado dúvida e preocupação: a renovação só por mais cinco anos; e a cobrança de um valor a mais pelo uso do boxe (R$ 170 e não R$ 120, informados, inicialmente).

Por conta da polêmica, os comerciantes pedem apoio dos vereadores para resolver ambas as questões. E mais, o objetivo dos comerciantes é que a prefeita doe uma área (da NOB que deve ser desapropriada) para a construção de uma sede própria.
Genivaldo ainda citou que foi publicada uma portaria em maio proibindo a venda de produtos oriundos do Paraguai, o que causa estranheza e preocupa os comerciantes do Shopping Popular.

Os vereadores se solidarizaram com os comerciantes, colocando-se a disposição, inclusive, para viabilizar reuniões com a prefeita e como forma de resolver a questão, de vez, apoiam os comerciantes a pleitear junto a Prefeitura, uma área para a construção de uma sede própria.
O presidente da Câmara, Jorginho do Gás, convocou os vereadores para uma reunião com a prefeita, na próxima semana passada.

(*) Câmara Municipal de Três Lagoas

Um dos assuntos levados pelos comerciantes foi a doação de um tereno para a construção da sede própria. (Foto: Assessoria)

Comentários