18/07/2017 07h15

O PMDB de Mato Grosso do Sul aguarda quieto em seu canto sobre os próximos passos a serem dados pelo partido rumo às eleições do ano que vem. Por enquanto, apenas a reeleição do senador Waldemir Moka é tratada como certa nos bastidores. Essa espera, no entanto, nada tem a ver com a situação em que está envolvido o presidente Michel Temer (PMDB-SP). Claro que, de certa forma, isso desgasta, mas o que pesa mesmo é o imbróglio em que está metida sua estrela principal.

Sem alarde

Engana-se quem pensa que as investigações da Lama Asfáltica estão paradas e que não devem trazer maiores consequências aos seus envolvidos. Informações seguras apontam que a Polícia Federal, Receita e CGU estão debruçadas em cima das provas já encontradas, além de investigações e diligências feitas sem o mínimo de alarde possível dos fatos. Por isso, a qualquer momento nova fase deve ser lançada pela operação com consequentes prisões e conduções coercitivas.

Pelo poder

Pelo jeito, uma nova ‘guerra santa’ está lançada pela emissora do Bispo Edir Macedo contra a Vênus Platinada, da família Marinho. Todo arsenal utilizado no primeiro ataque estaria contido numa eventual delação premiada do ex-ministro da Fazenda nos governos petistas, Antônio Palocci. Pela reportagem exibida, ele teria informações bombásticas que colocariam a Rede Globo em maus lençóis. Como se sabe, essa briga entre eles vem desde a prisão do Bispo há alguns anos atrás.

**Carregando pedras

O ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PTB), continua percorrendo o interior de Mato Grosso do Sul alegando estar reestruturando o partido em vários municípios do Estado mesmo diante do pedido de condenação feita pelo MPF (Ministério Público Federal) por suposta fraudes em licitações públicas. Pré-candidato ao Senado, o presidente regional petebista se articula na tentativa de garantir uma das vagas nas eleições de 2018.

Rivais

Se conseguir emplacar sua candidatura ao Senado, Nelsinho terá de enfrentar candidatos em potencial como o senador Waldemir Moka (PMDB), que busca a reeleição, o ex-prefeito de Dourados, Murilo Zauith (PSB), e o ex-governador Zeca do PT, com quem também costura uma dobradinha, já que ano que vem estarão em disputas duas vagas para o cargo. De acordo com o comando da legenda, ele passou por 14 municípios nos últimos dias.

Comentários