22/12/2012 09h04 – Atualizado em 22/12/2012 09h04

O IPI sobre os carros foi prorrogado e as concessionárias de Três Lagoas esperam manter o fluxo de vendas

A partir de janeiro, as alíquotas serão recompostas gradualmente, até voltarem aos níveis normais em julho

Cristiane Vieira

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, prorrogou, proporcionalmente, a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI, para automóveis, linha branca e móveis. Os descontos proporcionais começam a partir de janeiro.

Carros de até mil cilindradas (alíquota normal é de 7%), o IPI deixara de ser zero e passará para 2% entre janeiro e março, e de abril a junho para 3,5%. Os carros com motores flex de mil a duas mil cilindradas (IPI normal de 11%), a alíquota passará de 5,5% para 7% no primeiro trimestre e chegará a 9% até junho. Já os automóveis com essa potência movidos a gasolina (cuja cobrança normal é de 13%), passarão de 6,5% para 8% até março e para 10% até junho.

A partir de janeiro, as alíquotas serão recompostas gradualmente, até voltarem aos níveis normais em julho. A exceção são os caminhões, cujo IPI será zerado permanentemente, as máquinas de lavar e os papéis de parede, cuja alíquota permanecerá em 10% por tempo indeterminado.

No caso da linha branca e de móveis, painéis e laminados, as alíquotas atuais permanecerão em vigor até o fim de janeiro. De fevereiro a junho, haverá a cobrança de alíquotas intermediárias. Para os veículos, a recomposição do imposto se dará em duas etapas: as alíquotas subirão em janeiro, em abril, até alcançarem os patamares normais em julho.

ARRECADAÇÃO

De acordo com o ministro, o governo deixará de arrecadar R$ 3,263 bilhões com a prorrogação do IPI reduzido. Do total, R$ 2,063 bilhões se referem à desoneração dos automóveis, R$ 650 milhões aos móveis e painéis e R$ 550 milhões aos produtos da linha branca.

TRÊS LAGOAS

O Perfil News entrou em contato com uma concessionária de veículos em Três Lagoas e conversou com o gerente de vendas. Eles se mantém otimista para as vendas no primeiro semestre de 2013 com a prorrogação proporcional do IPI. “A gente espera manter esse fluxo de vendas, porque já temos carros vendidos e se o IPI voltasse ao normal, o preço desses veículos teria que ser alterado também”, disse Rodrigo Cândido.

O gerente ainda nos ressaltou que neste ano houve um aumento de 10% nas vendas, comparado ao ano passado que não havia a redução do IPI.

(*)Com informações da Agência Brasil

O IPI continua prorrogado só que agora proporcionalmente. Foto: Rafael Furlan

Comentários