18/11/2006 15h16 – Atualizado em 18/11/2006 15h16

Campo Grande News

Lideranças do PMDB apontaram a conduta do senador Ramez Tebet e como ponto forte na condução de problemas. Seu corpo está sendo velado no Ginásio Municipal de Três Lagoas. O governador eleito, André Puccinelli (PMDB) disse que o maior legado do senador é sua conduta e “capacidade de diálogo junto aos setores políticos para construir um bem público”. Concluiu que os que ele já ocupou revelaram um homem público correto. Dentre eles estão o de prefeito, ministro, presidente da Sudeco e governador. Puccinelli acredita que o espaço que Ramez ocupava na política será paulatinamente preenchido pela filha do senador, Simone Tebet (PMDB), prefeita de Três Lagoas. Puccinelli disse que espera que ela se iguale ou supere o pai em representatividade. Disse que no cenário nacional, os deputados federais Waldemir Moka e Nelson Trad devem conduzir as questões. “Cabe ao PMDB procurar suprir a falta do Ramez”, disse. O presidente nacional do PMDB, Michel Temer, observou que qualquer causa que Ramez estivesse conduzindo teria prosperaria. “Não será fácil substituí-lo, é um quadro valoroso do PMDB”, disse, observando, porém, que o tempo deve apontar novos nomes. O entrosamento entre os dois aumentou quando Ramez ocupou o Ministério da Integração e Temer foi presidente da Câmara Federal dos Deputados. A deputada federal eleita, Marisa Serrano considerou perda “grande e irreparável”. Disse que “quando as coisas desandavam” era na casa dele que os políticos corriam para se reunir e discutir os assuntos que geravam atrito. “Agora perdemos esse norte”, lamentou. Para ela, não haverá quem preencha o espaço do senador.

Comentários