23/04/2016 10h41 – Atualizado em 23/04/2016 10h41

É importante também que os pais estejam atentos aos filhos e respeitem as regras de prevenção

Da redação

O feriado prolongado de Tiradentes começou na noite desta quarta-feira (20) e segue até o próximo domingo (24). Nesse período, famílias e amigos procuram balneários e clubes em busca de diversão e descanso, e, com o aumento de pessoas nesses locais, o Corpo de Bombeiros alerta banhistas e proprietários sobre o respeito às normas de segurança.

Clubes que oferecem atividades de lazer precisam apresentar e ter aprovado junto ao Corpo de Bombeiros projeto contra incêndio e pânico. Após executado o projeto, o local passa por vistoria para receber Certificado de Vistoria que deve ser afixado em local visível ao público.

Clubes com piscinas devem ainda disponibilizar duas boias, dois coletes salva-vidas e dois guarda-vidas experientes para cada 500 metros quadrados de lâmina de água. As regras valem também para balneários e rios, que ainda têm a obrigação de sinalizar a parcela do rio destinada aos banhistas.

Para evitar acidentes e afogamentos, os balneários e piscinas de clubes e condomínios devem possuir acessos restritos que podem ser feitos com cercas, portões ou outros elementos que delimitem as áreas de água e que contenham placas com informações sobre a profundidade, bem como permissão ou proibição de mergulho.
É importante também que os pais estejam atentos aos filhos e respeitem as regras de prevenção. Crianças com menos de 12 anos devem ser sempre acompanhada pelos pais, que não devem se distrair com diálogos ou utilização de aparelhos celulares e tablets.

O Corpo de Bombeiros não recomenda a ingestão de alimentos pesados e bebidas alcoólicas durante a prática de esportes aquáticos. “Isso pode provocar de câimbras à mal súbito que levam ao afogamento e morte”, explica o coronel Eduardo.

Os banhistas devem ainda cumprir todas as orientações e determinações dos guarda-vidas, evitar brincadeiras que coloquem a segurança em risco durante o nado ou mergulho e evitar mergulhos em locais com profundidade menor.

(*) CBMMS

Comentários