A festa durou mais de seis horas, regada de muita cerveja gelada, bom papo, som de alto nível, alegria e descontração

No domingo passado o Grupo Bothesco recebeu amigos para a confraternização de fim de ano. A festa regada a muita cerveja gelada, além de drinks aconteceu no Buritis Eventos e durou a tarde toda, encerando após 6 horas de festa.

Foi uma tarde muito gostosa e divertida, onde a famílias e os amigos dos Botchesqueiros puderam interagir com todos os demais integrantes.  Ambiente foi caprichosamente decorado pela equipe do Buritis, enquanto o som e a iluminação ficou a cargo do Marcelo Som, que diga-se de passagem, muito profissional. A animação inicialmente ficou sobre responsabilidade do amigo e botchesqueiro, Roger Richard, que arrasou com seu Saxofone, acompanhado de seu primo, Marcio Santos, que veio de Bauru exclusivamente para a festa. Um arraso!

Depois a dupla sertaneja, Édson e Kleber assumiu o comando do palco, só parando para dar espaço aos batuqueiros botchesqueiros, encerrando o evento.  

COMO SURGIU O BOTCHESCO

Há cinco anos quando abriu um boteco no bairro Interlagos, o Uruguaio Yamandu Ferreira, o popular Tchesco, não imaginava que seu bar fosse virar um disputado ponto de encontro de amigos, quase todos já acima dos 40 anos.

Aos poucos o local passou a receber uma galera animada que gosta de tomar umas aos sábados, bater um bom papo, comendo alguns petiscos. E foi assim que há quatro anos (comemorado em agosto) nasceu o Grupo Botchesco, uma verdadeira confraria que reúne, várias personalidades das sociedade três-lagoense.

Pecuaristas, jornalista, radialista, advogado, empresários, promotor de Justiça, construtor, policial e tantos outros que atuam em várias outras atividades. Porém, lá no bar Botchesco não existe uma hierarquia. Todos são iguais, o tratamento é nivelado para todos. A única exigência para frequentar o grupo é que lá, mulher não entra! Apenas leva o namorado ou o marido e vai buscá-lo quando ele “quer ir embora”.

OPINIÃO DOS BOTCHESQUEIROS

De acordo com o uruguaio Tchesco, “O Botchesco se formou com um pequeno grupo de pessoas se reunindo aos sábados em um bar, para jogar conversa fora. Hoje é uma referência como grupo e se transformou em uma grande família.”  Por sua vez, o pecuarista Ajadil Mancini, ressalta que o Botchesco é um grupo muito diferente de ideia, porém no final todos se entende.

Já o presidente do grupo, Mencio Costa Alves diz que o grupo é seleto, independente das circunstâncias, o Botchesco sempre está reunido.  

Outro integrante novato no grupo é o Chupeta, ele define ser prazeroso fazer parte da confraria. Através dele escutamos boas músicas e nos divertimos aos sábados, além de sermos muito bem atendidos. Outro integrante que quis manifestar-se sobre o grupo, foi o empresário Lucio, do Buritis Eventos. “O Botchesco se resume em uma turma de amigos, que nos dias atuais, com tanta pressão e estresse se reúnem para descontrair com boas companhias e piadas regadas por uma Heineken estupidamente gelada e dispensando assim qualquer tratamento psicológico para enfrentar o dia a dia.

O integrante Eliandro, conhecido como Lili, que mora em Ribas do Rio Pardo, salienta que o local é uma constante confraternização de amigos, com um único objetivo ser feliz, viver uma vida mais leve, fazendo a diferença! Me orgulho muito de fazer parte do grupo,  apesar da distância! Viver bem é ter bons amigos.

Comentários