20/04/2016 11h23 – Atualizado em 20/04/2016 11h23

Com o intuito de agregar valor aos itens comercializados e ampliar o alcance das marcas, a ambientação do espaço comercial se faz necessária

Assessoria

Com o intuito de agregar valor aos itens comercializados e ampliar o alcance das marcas, a ambientação do espaço comercial se faz necessária

Quem nunca se deparou com um estabelecimento e identificou apenas pela aparência estética do local e de que franquia se tratava?

Pois é exatamente essa a proposta da arquitetura comercial, estabelecer uma identidade visual para os espaços comerciais de forma a facilitar a identificação da marca e elevar a confiança do consumidor, gerando primeiras impressões que influenciam na escolha da compra em determinada loja.

E é com esse objetivo que cada vez mais empresários do varejo estão investindo na comunicação visual de seus estabelecimentos.
Com o intuito de agregar valor aos itens comercializados e ampliar o alcance das marcas, a ambientação do espaço comercial se faz necessária. É preciso criar um padrão de cores e layouts que serão aplicados na mobília, nos uniformes dos funcionários ou cardápios, no caso de restaurantes, cafés e sorveterias, por exemplo.

Mas vale lembrar que é preciso deslocar recursos para conseguir criar uma proposta criativa e esteticamente agradável, já que, além dos objetos que compõem o local tambémtambém estão incluídas mudanças no piso, balcão, vitrines e azulejos.

A grande dificuldade em repaginar o negócio, no entanto, é adequar as mudanças visuais para tornar o estabelecimento prático, organizado e seguro, tanto para clientes quanto para funcionários. Por isso, é preciso ordenar o ambiente de forma racional, o que também influencia os resultados das vendas.
Quando o cliente entra em uma loja, ele precisa se sentir ambientado e a circulação deve ser facilitada para tornar a experiência da compra ainda mais confortável.

Fatores como o tamanho e o tipo de acesso ao estabelecimento, a distribuição da mobília e o posicionamento do caixa são essenciais para que o ambiente não fique sobrecarregado e que seja funcional.

A partir dessas definições iniciais, é hora de planejar sua loja. Confira algumas questões importantes que merecem sua atenção durante a reorganização do estabelecimento.

Observe as características dos produtos comercializados

Para criar um ambiente adequado, é preciso ter em mente que toda a arquitetura do lugar deve ser pensada de acordo com o que é vendido ali. Dessa forma, é muito mais fácil pensar nos móveis necessários e até na própria identidade visual, como cores e texturas aplicadas no local.

Atente-se ao comportamento dos clientes

Um ambiente de varejo agradável e ao mesmo tempo eficiente precisa combinar com as características do público que frequenta o local. Antes de investir nas mudanças, realize uma rápida pesquisa junto aos consumidores para compreender melhor seu estilo de vida e seus padrões de comportamento.

Pense no conceito da marca

A concepção do layout da loja também deve levar em conta o conceito da marca, suas estratégias corporativas, o posicionamento de mercado. Tudo isso, facilita o processo de reestruturação do ambiente e define padrões a serem aplicados na arquitetura do local.

Por fim, investir na arquitetura comercial pode ser uma solução inteligente e duradoura para melhorar os resultados e fidelizar clientes, já que trabalha com a emoção que cada estabelecimento desperta no consumidor.

O varejo nacional vem passando por grandes mudanças e é preciso se adaptar às expectativas cada vez mais elevadas da clientela.

(*) Conversion

Mas vale lembrar que é preciso deslocar recursos para conseguir criar uma proposta criativa e esteticamente agradável. (Foto: assessoria)

Comentários