Williams Araújo

RITMADO

Os números de intenção de voto nos candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul dançam conforme a música, ou melhor, a religião de cada eleitor pesquisado.

Católicos, evangélicos, espíritas, entre outros, expressam suas opiniões e, assim, vão dando margem a especulações sobre a vitória deste ou daquele para comandar o Parque dos Poderes a partir do ano que vem.

DEVAGAR

Se já há um desgaste natural sobre os atuais detentores de mandato, muito mais agora que os trabalhos estão, digamos assim, à meia boca nos legislativos estadual e municipal.

Qualquer assunto extra, como racismo no futebol ou eliminação de equipe, vira um prato cheio para discussão acalorada. Enquanto isso, na outra ponta, o povão está só a observar o falatório.

SEM PISCAR

Com um olho no gato e o outro no peixe – este não o Santos pelo qual torce – o governador André Puccinelli (PMDB) vai observando o desenrolar da campanha eleitoral. Até agora, pelo jeito, em sobressaltos. Os números das pesquisas, ao que parece, estão dentro do que ele [André] imaginou.

Como todos já sabem, os três principais candidatos à sucessão estadual tiveram sua mãozinha na hora de mexer o angu.

SPRINT

Longe de ficar somente com foco nas eleições, André Puccinelli tem muita coisa pela frente. São obras para concluir na Capital e também no interior. Por isso, tem corrido até um pouco além da conta para assegurar os prazos estabelecidos.

No mesmo ritmo, sua equipe tem se esforçado para acompanhar a correria do italiano. Alguns vão entrar de férias, já outros….

NÃO COLA

Até o momento, não se refletiu em números o fenômeno Marina Silva (PSB) na candidatura peemedebista de Nelsinho Trad. Pelos dados da última pesquisa do Ibope, ao invés de subir ele perdeu 6 pontos para o tucano Reinaldo Azambuja.

Talvez, a rejeição da candidata socialista ao PMDB tem contribuído para o desempenho do candidato em terras sul-mato-grossenses.

Comentários