10/04/2014 08h14 – Atualizado em 10/04/2014 08h14

Conjuntura

Coluna diária com os mais diversos tópicos políticos do Mato Grosso do Sul

Williams Araújo

ALTERNATIVA

A advogada Tatiana Ujacow pode ser a opção do PSB na disputa pelo Parque dos Poderes nas eleições deste ano, depois que o prefeito Dourados, Murilo Zauith, desistiu de sua candidatura. Com vínculo no segundo maior colégio eleitoral do Estado, ela conta ainda com a condição de ser uma mulher bem sucedida na profissão e já ser conhecida do eleitorado sul-mato-grossense.

Em 2010, foi candidata a vice de Zeca do PT ao governo. Perdeu, porém, ficou mais conhecida do povão.

PRESSÃO

Caso não prospere uma eventual candidatura socialista ao Parque dos Poderes, Murilo será muito assediado para apoiar os atuais candidatos ao cargo. De um lado, tem o peemedebista Nelsinho Trad, que em 2012 o apoiou para o Senado. Do outro, tem o petista Delcídio do Amaral, declaradamente candidato desde que se reelegeu senador em 2010.

Ele só se livrará desse fogo cruzado se, de fato, viabilizar uma candidatura própria até as convenções partidárias. Caso contrário, vai estar, literalmente, entre a cruz e a caldeirinha.

PIJAMA

Candidatura é uma palavra que está, a partir de agora, fora do vocabulário do governador André Puccinelli (PMDB). Pelo menos foi o que ele garantiu ontem de manhã, durante evento público na Capital. Depois de concluir seu segundo mandato, no fim deste ano, ele disse que pretende atuar apenas nos bastidores da política.

O italiano promete cuidar pessoalmente na montagem do instituto que leva seu nome e, dessa forma, contribuir com MS.

VERMELHOU

Fontes seguras garantem que o Partido da República, capitaneado pelo cardeal Londres Machado, e coadjuvado pelos deputados estaduais Antônio Carlos Arroyo e Paulo Corrêa, está mais vermelho do que nunca. Isso significa dizer que o petista Delcídio do Amaral leva vantagem na corrida por apoio dos republicanos e de ter até o vice indicado por eles.

Como se sabe, o nome de Giroto era cogitado para reforçar a chapa do PT, mas, ele está fora do páreo após decidir continuar no governo até o fim do ano.

PERSUASÃO

A guerra das pesquisas e a onda de denuncismos vão dar o tom da campanha política em Mato Grosso do Sul. Isso, infelizmente, é uma prática antiga e que se mantém mais viva do que nunca.

Em outras palavras: querem, a todo custo, confundir a cabeça do eleitor para que vote ou não vote em certo candidato, por razões essas ou aquelas.

Comentários