11/04/2014 08h32 – Atualizado em 11/04/2014 08h32

Conjuntura

Coluna diária com os mais diversos tópicos políticos do Mato Grosso do Sul

Williams Araújo

REPOSIÇÃO

Preocupado em terminar todas as obras lançadas pelo seu governo, André Puccinelli (PMDB) concluiu a reposição do seu primeiro escalão para que nenhum setor sofra solução de continuidade. Além de tirar Giroto da reeleição para o mandato de deputado federal, escolheu a dedo os novos colaboradores, para sair em grande estilo da sua gestão de oito anos.

Algumas obras, como o Aquário do Pantanal, por exemplo, receberão atenção especial devido à complexidade de suas estruturas. O exaustivo trabalho será recompensado por férias permanentes depois.

DE MAL

Até um passado bem recente, o PSD do empresário Antônio João Hugo Rodrigues flertava com o senador Delcídio do Amaral (PT) com intenção até de lançar seu candidato a vice nas próximas eleições. No entanto, o disco virou e hoje viraram inimigos declarados e até foram parar nas barras dos tribunais. Diante desse novo cenário, uma aproximação entre os dois partidos ficou praticamente inviabilizada.

Mas como a política é capaz de produzir histórias controversas, não se pode dizer que tal união fica completamente descartada.

MISSÃO IMPOSSÍVEL

O vereador Coringa (PSD) disse ontem que com a saída de André Puccinelli do páreo, a ex-vereadora Tereza Name é pré-candidata do PSD ao Senado. Ele vai mais além, ao afirmar que o partido está dividido entre apoiar o candidato Nelsinho Trad (PMDB) ou o petista Delcídio Amaral. Ele só não explicou como Tereza vai viabilizar sua candidatura se o PT, a única opção dela, está quase em vias de fato com o PSD.

No PMDB é impossível, já que Simone é a dona da vaga desde há muito tempo, e muito mais agora com Andre fora.

SUSTO

Um equívoco por parte do MPF (Ministério Público Federal) por pouco não causa um estrago político sem precedentes na vida do deputado estadual Júnior Mochi (PMDB). O órgão emitiu uma nota justificando um erro na publicação, cujo teor era de que o parlamentar havia sido condenado pela Justiça Federal em processo que tramita no Tribunal Regional da Terceira Região.

Na verdade, segundo o MPF, ele foi julgado apenas em primeira instância e que o recurso não foi julgado ainda pela Justiça Federal. Mochi é candidato à reeleição.

CHAVE DE OURO

O cardeal republicano Londres Machado (PR) voltou a falar ontem em aposentadoria, após 44 anos dedicados à vida pública. Deixou claro, no entanto, que Graziella Machado, sua filha, deverá ser sua sucessora no Parlamento Estadual. Com 72 anos de idade e considerado o recordista brasileiro em legislaturas consecutivas, Londres deve se concentrar agora nas decisões que o seu partido deve tomar nas próximas eleições e, de quebra, pensar na campanha de sua sucessora.

Afinal, para tomar tantas decisões assim, ele vai precisar de muito fôlego ainda.

Comentários