30/04/2013 16h10 – Atualizado em 30/04/2013 16h10

Foi a 2ª Reunião Ordinária do Conselho de Usuários do Sistema de Telefonia Fixa Comutada

Na pauta da reunião estavam o aumento de reclamações de cidades sem fornecimento do serviço de telefonia fixa por longos períodos, o problema de cobrança indevida e também pacotes de planos não cumpridos

Ricardo Mendes

Na manhã desta terça-feira (30), a assessora chefe do Programa Municipal em Defesa do Consumidor de Três Lagoas (Procon/TL), Lilian Campos, participou da 2ª Reunião Ordinária do Conselho de Usuários do Sistema de Telefonia Fixa Comutada – STFC S/A, no Hotel OT.

Segundo Lilian, as reclamações da população no tocante aos serviços da OI tem sido constante no estado, sobretudo na telefonia fixa e na internet. A assessora chefe do Procon/TL, destacou a necessidade de melhoria dos serviços de banda larga em função da fila de espera pelo serviço no Município, embora considere o bom atendimento prestado pela concessionária à entidade através de linha direta aos canais de atendimento pela empresa.

Lilian ainda pontuou o aumento de reclamações de cidades sem fornecimento do serviço de telefonia fixa por longos períodos, o problema de cobrança indevida e também pacotes de planos não cumpridos.

Durante a reunião foi apresentada pelo presidente do Conselho concordância com o fato do aumento das reclamações nas principais cidades do Estado que se assemelham principalmente no que tange a chamadas não reconhecidas pelos usuários, e quanto à demora no atendimento sobre os serviços prestados pela concessionária.

“Nessa reunião descentralizada discutimos os serviços oferecidos pela operadora OI e o que podemos avançar no tocante a melhorias. Foi um momento também aberto às autoridades como Representantes do Ministério Público, Associação Comercial de Três Lagoas, Representante da OAB e Câmara Municipal, onde todos puderam expor suas inquietações referentes aos serviços da operadora, porém estiveram ausentes na reunião do conselho”, explicou Lilian.

De acordo com assessoria chefe do Procon, hoje a iniciativa das empresas em abrir as portas para o diálogo de forma transparente “ajuda a identificar erros e acertos e encontrar grandes melhorias aprimorando os seus canais de atendimentos. Essa meta da Oi não alcança sozinho, sendo o melhor caminho dar respostas e soluções para que não acarretem problemas futuros junto aos Órgãos de Defesa do Consumidor”, reforçou.

O Conselho solicitou à concessionária que apresente resposta sobre a suposta venda casada do serviço de banda larga atrelado ao fornecimento de telefonia fixa.

Participaram da reunião, o representante da presidência do Conselho, Bruno Domingos Ojeda, o vice-presidente do Conselho, João Ramos da Silva Junior; a assessora chefe do Procon Municipal de Três Lagoas-MS, Lilian Campos e sua funcionária, Christiane Guidio; o representante da Associação Comercial de Campo Grande, Bacel Omari; o representante de Relacionamento do Órgão de Defesa do Consumidor, Aikel Nakazato e o representante do Procon de Costa Rica, Walder de Freitas.

Na pauta da reunião estavam o aumento de reclamações de cidades sem fornecimento do serviço de telefonia fixa (Foto: Assessoria de Comunicação)

Comentários