01/03/2013 13h52 – Atualizado em 01/03/2013 13h52

Saúde alerta do perigo das construções abandonadas ou paralisadas

Alerta é sobre existência de criadouros do mosquito Aedes Aegypti no interior dessas obras, proliferando em masseiras, copos de plástico e até em embalagens de marmitas

Da Redação

A Secretaria Municipal de Saúde de Três Lagoas, por meio do Departamento de Vigilância e Saneamento, alerta a população quanto ao perigo da existência de criadouros do mosquito Aedes Aegypti, vetor da dengue, em construções abandonadas ou paralisadas.

A constatação da presença desses criadouros é das equipes das ações de enfrentamento à dengue, em andamento nos Bairros, constituídas de Agentes Comunitários de Saúde, Agentes de Combate às Endemias e também de um contingente de soldados da 2ª Companhia de Infantaria do Exército Brasileiro.

“Esse é um perigo ameaçador, que poderá causar sérios transtornos às nossas ações de enfrentamento à dengue, resultando no aumento dos casos da doença na nossa população”, alertou o coordenador de Educação em Saúde, Fernando Garcia Brito.

Segundo ele, no interior e até nos arredores próximos à maioria das construções abandonadas ou paralisadas, foi localizado enorme variedade de criadouros do mosquito em masseiras, copos e garrafas de plástico, vasos sanitários, latas de tinta, sacos de cimento e argamassa vazios, galões e tambores, até em embalagens de marmitas, deixadas nas construções.

“O pior de tudo isso é que são materiais que armazenam água e em condições totalmente favoráveis à proliferação do Aedes Aegypti”, alertou Fernando.

Conforme tem orientado a secretária de Saúde Pública de Três Lagoas, Eliane Brilhante, “só acabaremos com a dengue, se houver a participação responsável e atuante de toda a nossa população”, disse.

“Infelizmente, a grande maioria de criadouros, transmissores da dengue, está no interior das residências e quintais e também nas construções paralisadas, como foi constatado pelas nossas equipes”, observou.

“Cada um deve fazer a sua parte para conter o aumento do número de casos de dengue. É importante que, ao menos uma vez por semana, usemos um tempinho para vistoriar nossos quintais e o interior de nossas casas para eliminarmos o maior número possível de criadouros”, ressaltou Eliane Brilhante.

(*) Com informações de Assecom Prefeitura

A constatação da presença desses criadouros é das equipes das ações de enfrentamento à dengue, em andamento nos Bairros (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários