Documento revela que empresário mentiu em ação judicial ao dizer que sua participação na empresa de celulose teria sido reduzida.

O contrato por meio do qual Mário Celso Lopes deixou de ser acionista da Eldorado Brasil Celulose demonstra que o empresário detinha, em 2012, 25% de participação na empresa. Lopes vendeu essa participação à J&F Investimentos, controladora da Eldorado, por R$ 300 milhões.

Em setembro de 2019, Lopes entrou com uma ação na Justiça do Mato Grosso do Sul alegando que sua participação na Eldorado foi diluída em 2011 para 16,72%, sem a sua anuência, o que seria contrário ao contrato que ele mesmo assinou com a J&F.

O documento desmente Mario Celso Lopes. Se ele vendeu 25% em 2012 não poderia ter apenas 16,72%:

Além disso, o contrato estabelece a aquisição de 100% da MJ PARTICIPAÇÕES pela J&F. A MJ era a empresa por meio da qual Lopes detinha os 25% da Eldorado. Ou seja, somente a própria J&F poderia reclamar direitos da MJ. O contrato ainda estabelece cláusula que prevê o foro de São Paulo para eventuais discussões.

A J&F Investimentos reforça sua confiança na Justiça e afirma estar segura de que, diante de todas as evidências, terá seu direito respeitado. A J&F não abre mão de cobrar Mario Celso Lopes por todos os custos e eventuais danos que venha a sofrer em decorrência da ação judicial temerária do ex-sócio.

Campo Grande, 17 de Dezembro de 2019

J&F Investimentos S.A.

Comentários