Foco é executar em Mato Grosso do Sul a campanha para 2022 com foco na reeleição do atual presidente, o que deverá ocorrer também em outros estados.

Em encontro que deve acontecer em breve com o presidente Jair Bolsonaro, o deputado estadual Coronel David (sem partido), juntamente com o gerente da Embratur, Rodolfo Nogueira, discutirá estratégias políticas visando 2022, porém uma delas já está formatada e definida: não haverá espaço para caronistas. Isso porque eles têm pensamentos em comum, ou seja, executar em Mato Grosso do Sul a campanha para 2022 com foco na reeleição do atual presidente, o que deverá ocorrer também em outros
estados.

O objetivo é alinhar, não em palavras, mas em atitude, os políticos hoje verdadeiramente fiéis às propostas de Bolsonaro,  para que continuem sendo fortes apoiadores do atual governo na disputa do próximo ano. A situação será diferente em 2022 pois o presidente deverá buscar a reeleição com aqueles políticos que tenham musculatura eleitoral, luz
própria e comprometimento com as agendas defendidas pelo Presidente Bolsonaro, e não os que pretendem se utilizar de seu nome apenas na tentativa de serem reeleitos ou eleitos e depois abandonarem o barco.

Juntos, sempre

Não é só apenas pela amizade que tem há anos com Bolsonaro, mas o Coronel David é também um político que desde quando o Capitão anunciou sua decisão de disputar a presidência, foi a primeira e única liderança política a levantar a bandeira de apoio a ele em Mato Grosso do Sul. Assumindo os ônus e bônus, com seu histórico, o parlamentar estadual já tem know-how neste sentido, o que é reconhecido por Bolsonaro.

A força política de David está representada nos seus 45.903 votos e além do trânsito político-administrativo, a lealdade e gratidão que tem para com com o presidente. Isso tem permitido ao parlamentar abrir portas para dar encaminhamentos às necessidades de Mato Grosso do Sul. Provas nesse sentido foram conquistas recentes, como investimentos para maior segurança na faixa de fronteira, a pedido do Governo do Estado, e na liberação da vacina para profissionais da segurança pública contra a
Covid-19, através do Ministério da Saúde, e que contou com a participação decisiva do governo do Estado.

Coronel David e Rodolfo Nogueira foram os responsáveis pela organização do PSL, em 2018, no Estado, numa missão dada pelo próprio Bolsonaro. O presidente reconhece isso e demonstra com atitudes, como a que ocorreu em recente visita dele ao Mato Grosso do Sul, quando mostrou preocupação e torceu pela recuperação do Coronel que na época foi acometido da Covid-19, fazendo questão de ligar diretamente ao deputado para saber do
seu estado de saúde.  O Covid, na época, impediu o deputado de fazer parte da comitiva do Presidente.

Sem enganos

Em entrevista à rádio local em Campo Grande, David fez um panorama político dizendo que há um entendimento com Bolsonaro e dessa vez não terá pessoas pegando carona como já aconteceu outrora. “Ninguém vai mais enganar o presidente, ele deixou isso bem claro, a gente espera realmente que entrem no nosso barco pessoas que venham demonstrando ao longo do tempo que não roeram a corda. Aquelas pessoas que por ventura vieram com o presidente e tomaram outro caminho depois de 2018, acreditem, não terão apoio de Bolsonaro. Vamos escolher pessoas comprometidas com aquilo que ele defende e aquilo que a sociedade brasileira quer que ele faça junto à presidência. Então imagino que ano que vem vamos ter um quadro de candidaturas de pessoas que já declararam tal desejo e, com certeza, teremos também alguém que vai defender e representar o nome do presidente Jair Bolsonaro”, explica.

Força política

O Coronel David destacou a força de Bolsonaro junto à população, sobretudo as que veem nele, alguém que está tentando corrigir os rumos do país. “Hoje infelizmente muitos torcem contra, no momento onde todos precisavam estar unidos para que o Brasil passasse por essa dificuldade da  pandemia e recuperasse sua força econômica para que muitos brasileiros tivessem suas ofertas de emprego e sua cidadania restaurada. O Programa social é muito bom, tira muitas pessoas da pobreza, mas não existe programa social melhor que o emprego e nós temos que trabalhar em cima disso. Eu não tenho dúvida que vamos vencer a pandemia, vamos nos fortalecer muito economicamente falando para que no ano que vem, nós tenhamos o nome do presidente muito mais forte para continuar com a sua gestão à frente do país”, finaliza.

Comentários