06/04/2019 17h13

O veículo estava no acostamento da MS 320, no KM 14,5, próximo a Três Lagoas. A perícia esteve no local, porém ainda não tem nenhuma pista que possa elucidar a ocorrência

Ricardo Ojeda

Uma ocorrência com requinte de muito mistério foi registrada no início da tarde deste sábado pelas autoridades policiais de Três Lagoas. Era por volta das 13hs30 horas quando uma equipe do Corpo de Bombeiros se deslocou ao KM 14,5 da MS 320 para atender uma emergência de incêndio em um veículo. Quando chegou ao local a guarnição constatou ser um carro de marca Hyundai, modelo Tucson, com placas HMW – 6385 de Três Lagoas

Mesmo a equipe ter chegado ao local rapidamente, nada pode ser feito, o fogo já havia consumido completamente o veículo, que ainda tinha algumas labaredas. Após conter as chamas, os militares perceberam que havia um corpo carbonizado no banco do passageiro. A partir desse momento, eles protegeram o local para limitar a entrada de curiosos e acionaram a Perícia Técnica da Polícia Civil.

SEM PISTA

Decorrido algum tempo chegaram, além da Polícia Militar, uma equipe da perícia, acompanhada da delegada plantonista, Patrícia Abranches. Depois de uma minuciosa vistoria e registro fotográfico, a perícia autorizou a retirada do corpo. Devido à ação do fogo o cadáver estava desintegrando, restando apenas os ossos da vítima, que foram recolhidos aos pedaços.

Ainda no local, a reportagem ouviu o perito dizer que o corpo provavelmente possa ser de uma mulher, devido o tamanho do quadril. Porém essa possibilidade é apenas uma remota observação. A delegada disse ao Perfil News que ainda não existe nenhuma pista que possa elucidar a ocorrência. “Tudo será analisado criteriosamente, mas precisamos identificar o dono do veículo para descobrir quem é a vítima. Por enquanto o que temos é um veículo destruído pelo fogo e um corpo carbonizado”, finalizou.

Momento que os agentes da funerária retirava do interior da Tucson o corpo carbonizado da vítima (Foto: Ricardo Ojeda)

O veículo incendiado tinha placa de Três Lagoas, era de cor preta, ano 2010, informou a perícia após checar no sistema (Foto: Ricardo Ojeda)

Comentários