09/04/2018 11h05

Familiares informaram que não haverá velório, será sepultado imediatamente devido ao adiantado estado de decomposição

Ricardo Ojeda

De acordo com informações repassadas por familiares, tudo indica que a morte da advogada Marcia Melo tenha sido suicídio. O corpo dela foi encontrado sobre a cama em adiantado estado de decomposição e foi levado para o IMOL – Instituto Médico e Odontológico Legal de Campo Grande, para ser periciado.

A reportagem do Perfil News conversou com o delegado Rafael Kenji Koshimizu, de Ribas do Rio Pardo, que informou que ainda não tem um posicionamento oficial, se foi homicídio ou suicídio. Ele disse que só vai se manifestar após o resultado dos peritos do IMOL.

SUICÍDIO

Entretanto um membro da família da vítima disse à reportagem que não tem mais dúvidas, que a advogada tenha cometido suicídio. O corpo dela foi encontrado com um tiro no céu da boca, sendo que o projetil saiu pela orelha. Segundo essa mesma pessoa, o revólver de calibre 22, foi encontrado sobre a cama ao lado do corpo.

Segundo relatado, Marcia Melo teria chegado à tarde de sexta-feira na fazenda Santa Marcia, na região do Mutum, em Ribas do Rio Pardo. A propriedade está arrendada para plantação de eucaliptos, mas a sede estava sobre administração de Marcia, que sempre ia ao local.

Um primo que trabalha na sede da fazenda, a recebeu na sexta-feira, e inclusive a ajudou descarregar uma grande quantidade de compras que havia feito em um supermercado, disse o familiar. Por conta disso, a família está achando muito esquisito a forma que ela cometeu suicídio.

QUADRO DEPRESSIVO

A hipótese mais provável é que ela tenha cometido o ato que lhe tirou a vida na sexta-feira, porém seu primo, que mora no local só descobriu no domingo pela manhã, após sentir um forte cheiro. Ao abrir a porta do quarto, ele encontrou o corpo bastante inchado. O que chamou a atenção foi que, em um dos braços da vítima havia alguns bilhetes, que provavelmente possa explicar o motivo que ela cometeu tal atitude. A polícia recolheu o papel e levou para ajudar nas investigações. Segundo informações, a vítima apresentava um quadro depressivo, devido a problemas familiares e, por conta disso tomava remédio controlado.

O corpo da advogada passou pelos procedimentos de periciais e deverá ser liberado na tarde desta segunda-feira, devendo ser transladado para Três Lagoas, onde será sepultado imediatamente. Segundo familiares, devido o adiantado estado de decomposição, o corpo não será velado.

A hipótese mais provável é que ela tenha cometido o ato que lhe tirou a vida na sexta-feira (Foto/Reprodução)

Comentários