Adalberto matou a esposa com três tiros e depois se matou. O crime aconteceu na tarde desta quinta-feira e um filho do casal de 16 anos e uma prima de Lívia presenciaram o fato

Os corpos do policial civil Adalberto Duarte da Silva, lotado no 1º Distrito Policial de Jardim e da esposa dele Lívia Cathiane serão trazidos para o Instituto Médico Legal e Odontológico (IMOL) de Dourados, onde passarão por necropsia.


Adalberto matou a esposa com três tiros e depois se matou. O crime aconteceu na tarde desta quinta-feira e um filho do casal de 16 anos e uma prima de Lívia presenciaram o fato.
Lívia passou a virada do ano em Porto Murtinho onde residem os familiares dela e retornou hoje para Jardim. Adalberto foi busca-la na rodoviária e logo depois houve uma discussão entre o casal.


Segundo informações Adalberto vinha enfrentando problemas de depressão e relutava em passar por tratamento especializado. Ele era uma pessoa bem relacionada e querida entre os companheiros de trabalho e de outras forças policiais e o crime chocou a população.


O corpo de Lívia será levado para Porto Murtinho e familiares do policial estão indo de Campo Grande para Jardim e irão decidir onde ele será sepultado. A Corregedoria da Polícia Civil está acompanhando o caso.

(*) Antonio Coca – MS em Foco

Comentários