29/09/2015 09h22 – Atualizado em 29/09/2015 09h22

Crescimento da receita de MS é o menor em seis anos

Alta foi de 5,7% em 2015, variação mais modesta desde 2009

Da Redação

O governo de Mato Grosso do Sul acumulou, de janeiro a agosto deste ano, o menor crescimento das receitas correntes em seis anos. O valor, publicado ontem no Diário Oficial do Estado, é de R$ 7,875 bilhões, 5,7% acima do montante acumulado em iguais meses de 2014, que foi de R$ 7,449 bilhões.

Na comparação com os últimos anos, essa variação só é maior que a de 2009 (3,39%). Esse cenário de baixo avanço, verificado desde o início deste ano, tende a ser amenizado em razão de depósito, neste mês, de R$ 1,149 bilhão adicionais na conta do governo.

O demonstrativo, que está na edição de ontem do Diário Oficial, traz informações apenas de receita. O balanço orçamentário, que inclui despesas, deve ser publicado amanhã. Conforme os números do governo, o avanço relativo das receitas correntes neste ano (até agosto) é mais de duas vezes inferior à variação contabilizada em 2014 (R$ 7,449 bilhões) sobre 2013 (R$ 6,505 bilhões), que foi de 14,51% no mesmo comparativo.

Na avaliação do secretário de Fazenda Márcio Monteiro, a desaceleração do crescimento da receita de Mato Grosso do Sul é provocada, sobretudo, pela retração da economia nacional. “É a crise”, resumiu o secretário. Outro fator que concorre para o resultado mais tímido neste ano é o aumento, relativamente menor, do Fundo de Participação Estadual (FPE).

(*) Correio do Estado

Secretário de Fazenda, Márcio Monteiro (Foto: Arquivo)

Comentários