Patrimônios públicos viraram alvos de criminosos neste final de semana em Três Lagoas. Um verdadeiro arrastão foi registrado em vários pontos da cidade, sendo furtados e até mesmo invadidos.

Fios de alimentação de energia da Unidade de Saúde da Família (USF) Nova Três Lagoas e da casa de bomba d’água da segunda lagoa foram furtados. Além disso, a biblioteca do SESI do Bairro São Carlos foi invadida.

FURTO DE FIOS

No USF Nova Três Lagoas, fios da caixa de energia, que fica na parte externa do prédio, foram furtados e devido ao crime, o local não está funcionando. A diretora da Atenção Básica da Rede Municipal de Saúde de Três Lagoas, enfermeira Andréia Lima, explicou que foi confeccionado um Boletim de Ocorrência (BO) e que o caso segue em investigação.

“Não foi possível identificar os autores do crime até o momento e, agora, será investigado isso e o porquê, mesmo tendo um guarda patrimonial no local, o crime não foi impedido. Há câmeras no local, inclusive, de um comércio em frente ao estabelecimento de saúde, as imagens serão solicitadas para ajudar na investigação”, comentou Andréia.

Outro furto que causa danos ao erário, foi o de fios de alimentação de energia da casa de máquinas onde ficam as bombas d’água da 2ª lagoa.

Conforme a diretora de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA), Maysa Costa, mesmo o local sendo trancado por cadeados, com cerca e concertina, o furto ocorreu.

“Registramos um BO e será feita uma investigação na tentativa de identificar os culpados. Isso é revoltante e mostra o extremo desrespeito por parte de alguns ao que é público e aquilo que presta serviço para todos”, comentou.

BIBLIOTECA ARROMBADA

Nesta manhã de segunda-feira (10), a Coordenadora de Bibliotecas, Fabiana Gomes, juntamente com o Diretor de Cultura da SEMEC, Heriksen Plesley, constataram que houve arrombamento e possível roubo de alguns equipamentos da Biblioteca Pública SESI Indústria do Conhecimento e Prefeitura do Bairro São Carlos.

Também foi registrado BO para averiguação dos fatos e verificação dos equipamentos de segurança na tentativa de identificar quem pode ser o autor do crime.

“Ficamos muitos tristes com isso, pois mesmo tendo todo o aparato de segurança, não é o suficiente para inibir a ação desse tipo de pessoa. Isso é mais um ato de desrespeito à própria população”, disse o diretor. 

Comentários