19/06/2015 17h41 – Atualizado em 19/06/2015 17h41

Mesmo com promoções e variedade de produtos, as vendas estão baixas; lojistas destacam que o consumidor está sem dinheiro e o frio não chegou

Fábio Jorge

Para os lojistas do comércio de vestuários, cama, mesa e banho, o inverno de 2015 não está sendo um dos mais empolgantes para alavancar as vendas dos itens em Três Lagoas. O inverno começa oficialmente no próximo domingo (21), mas a cidade já vem sentindo quedas acentuadas de temperatura desde o início do mês.

Mesmo assim, muitos gerentes e proprietários de lojas no centro do município não tiveram bons resultados com estas frentes frias. Visitando alguns estabelecimentos do município, a reportagem do Perfil News entrevistou três gerentes de conceituadas lojas do segmento, que pontuaram uma baixa procura por estes produtos, sempre ligando à crise financeira e ao pouco frio da região. Com exceção de uma loja, que garante que as vendas estão a todo vapor.

BOAS EXPECTATIVAS

O proprietário da tradicional Lojas Paulistanas, Pedro Ardigó, não se mostra otimista com as vendas de inverno. Segundo ele, é necessário que se faça realmente um frio rigoroso em Três Lagoas para que haja vendas satisfatórias. “Até o momento, blusas e casacos saíram bem nos dias de eventos na Exposição. Somando com a crise que o brasileiro enfrenta, as vendas estão paradas” relata Pedro.

Ele também pontuou que a inadimplência neste ano cresceu 20%, comparada ao ano de 2014. “No ano passado, tínhamos cerca de 15 a 17% de inadimplência no crediário. Este ano, já chega a 37%, com queda de 40% nas vendas em relação a junho do ano passado”, acrescentou. Mesmo assim, a loja está bem abastecida e oferece desconto de até 30% nas mercadorias como blusas, casacos, calças, edredons e cobertores. Pedro espera que até julho, a situação melhore e a procura comece a fluir.

Outra grande loja de departamentos também recuou na expectativa de vendas desses itens com reflexo nas vendas do ano passado, não acrescentando variedades para 2015. O gerente explica que a intenção é verificar as condições do clima, já que em 2014, houve apenas uma semana de quedas rigorosas de temperatura.

Mesmo assim, a loja já esgotou a linha infantil de blusas, e ele explica que, o guarda-roupas das crianças têm sempre que se renovar devido ao crescimento. Ainda há grande variedade de cobertores e vestuário adulto.

DIFERENTE DAS OUTRAS, AQUI AS VENDAS CRESCEM

Na contramão das expectativas dos demais entrevistados, a gerente de vendas Eliandra Squiavenati considera positivas as vendas na unidade das Lojas Pernambucanas da cidade. Segundo ela, a loja dispõe de grande variedade de produtos e preços o que atrai o cliente. Mesmo com o inverno sem intensidade, roupas e cobertores correspondem atualmente a 70% das vendas diárias do estabelecimento.

“A loja se baseia também nas tendências da moda e, os dias frios ocorridos anteriormente já refletiram uma procura sobre essas roupas. A linha infantil, por exemplo, é a mais vendida, seguida pela moda feminina”, explicou Eliandra. Ela finaliza que, o segredo para alavancar as vendas de inverno é atrair o cliente com novidades e claro, com ofertas e descontos.

A maioria registra queda, com exceção de algumas lojas pontuam boas vendas nas roupas de frio, cobertores e edredons (foto: Fábio Jorge)

Nas Lojas Paulistanas, o proprietário diz que o fluxo de vendas está baixo, mas o estoque tem variedades para todos os gostos (foto: Fábio Jorge)

A gerente de vendas ajuda à consumidora a escolher roupas de frio para os netos. (foto: Fábio Jorge)

Comentários