10/11/2006 17h18 – Atualizado em 10/11/2006 17h18

Ms Noticias

O secretário de Turismo de Corumbá, Carlos Porto, aposta na prática do mergulho com um dos excelentes produtos turísticos que a região tem a oferecer e que atrai os amantes da contemplação da natureza. Uma das regiões com maior potencial é o rio Negrinho, mas há bons locais no Pantanal do Paiaguás, mais ao norte. Ele lembra que, recentemente, foi lançado na cidade, por alguns empresários e com apoio da Prefeitura Municipal, um novo pacote que inclui contemplação, história e a cultura da terra. Trata-se do Cruzeiro Pantaneiro, em fase de comercialização e que permite levar o turista a lugares belíssimos, por água e terra, que, na sua opinião, vai mudar o perfil do turismo da Capital do Pantanal. A diversificação da atividade turística no município vem sendo implementada pela gestão do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), associada à qualificação da mão-de-obra e produtos atrativos. O Cruzeiro Pantaneiro dá um passo importante para potencializar a região como um dos principais destinos do Brasil Central. E mais: pode ser operado na baixa temporada (piracema), de novembro a fevereiro. “Temos uma natureza pronta para ser explorada de forma sustentável, unindo o contemplativo com nossos atrativos patrimoniais e culturais, e mantendo a pesca ainda como um produto forte”, disse o secretário municipal de Turismo, Carlos Porto. Com o fim temporada, segundo ele, o setor se fortalece e não há desemprego. “Temos que trabalhar muito com a comunidade envolvida”. Uma viagem experimental do Cruzeiro Pantaneiro, de cinco dias, foi realizada por técnicos da secretaria municipal de Turismo, empresários, operadora Ambiental (SP) e jornalistas. O resultado de um passeio de muitos atrativos, de barco-hotel ou trafegando pela Estrada-Parque, está estampado em reportagens nos jornais Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, revistas, entre outros, anunciando Corumbá como nova rota do ecoturismo. “A novidade é que tais roteiros estão sendo estruturados a partir de barcos-hotéis. Muito usado para a pesca (…), os barcos se embrenham pelo rio Paraguai, descortinando o universo pantaneiro”, escreveu o fotógrafo Leonardo Wen, autor da reportagem de sete páginas na Folha. “No barco, é possível trocar varas por câmeras para fisgar os melhores momentos das belas fauna e flora locais”.

Comentários