30/05/2015 08h58 – Atualizado em 30/05/2015 08h58

Quer queira ou quer não, Roberto Botareli sabe que o aumento concedido aos professores no apagar das luzes teve um pouco, digamos assim, de maquiavelismo somente para engessar o tucano de Reinaldo Azambuja (PSDB). Afinal de contas, o presidente da Fetems fumou o cachimbo da paz com os principais caciques do PMDB depois de muitas brigas. Não foi à toa que o desembargador Sérgio Fernandes Martins concedeu liminar ao governo em relação à greve da categoria, determinando a manutenção de 60% dos professores em sala de aula.

FÁCIL

Circula em alto e bom som pelas redes sociais um vídeo que mostra a articulação de um grupo para tirar o microfone da boca de um emblemático comunicador da Capital. Com clareza do áudio e, logicamente, a identificação dos participantes, esse material, se não está, deve ir parar nas mãos do Gaeco, grupo do Ministério Público que investiga o caso. Políticos e até gente insuspeita participam da trama, evidenciando, assim, que a corrupção saiu se alastrando por toda parte.

LARGADA

PSDB e PMDB começam a se mexer na Capital para chegarem fortalecidos às disputas municipais do ano que vem. Os tucanos marcham unidos e vão às urnas neste domingo, na Capital, com chapa única. Já os peemedebistas, capitaneados pelo ex-governador André Puccinelli e demais lideranças, se reúnem na segunda, na sede do diretório, para discutir o lançamento de candidatura própria nos 79 municípios do Estado. Pelo que se pode notar, ninguém quer perder tempo nessa hora.

ENSAIO

Pelos lados do PT surge o nome do ex-governador e atual deputado federal Zeca do PT para a disputa da prefeitura da Capital. Mas ele já foi logo avisando que pode até ser, desde que não haja traição dentro do partido. Tudo isso, no entanto, é muito incipiente ainda, embora o momento exija que definições comecem a ganhar contornos definitivos. Somente pesquisas vão apontar o caminho a ser seguido pela sigla. O desgaste do poder pode mudar os rumos da prosa.

GOLPE (?)

Em liberdade provisória, Robson Martins jura de pés juntos ser inocente da acusação de extorsão ao ex-vereador Alceu Bueno (ex-PSL), que desarticulou rede de exploração sexual de adolescentes, em Campo Grande. O ex-vereador, que já passou por vexame semelhante, garante ser vítima de um golpe. Apenas para refrescar a memória, ele foi preso em 16 de abril ao receber R$ 15 mil de Bueno.

Comentários