10/11/2006 14h50 – Atualizado em 10/11/2006 14h50

Agcom

Como parte da programação do Mês da Consciência Negra, o Núcleo de Promoção da Comunidade Negra promove na próxima terça-feira (14) a entrega de certificados e apresentação de alguns penteados do curso de Cabelo Afro, na sala de reuniões da Prefeitura, às 14h. O Núcleo faz parte da Secretaria Municipal de Governo e recebe estrutura da Prefeitura Municipal para seu funcionamento. O curso teve o objetivo de despertar na consciência das profissionais de beleza, a importância da diversidade e a necessidade de tratamento específico para os diferentes tipos de cabelo, valorizando os traços e fenótipos africanos. A coordenadora do Núcleo de Promoção da Comunidade Negra, Edna Aparecida da Silva, levanta outro fator relevante para o desenvolvimento do curso. “A indústria de cosméticos vem descobrindo na população negra, uma importante possibilidade de expansão da comercialização de produtos de beleza. Se por um lado ganhamos em termos de possibilidades de tratamento e cuidados com o corpo negro, por outro precisamos fazer um trabalho de valorização e respeito para que não sejamos envolvidos na ilusão de padrões de beleza pré-estabelecidos a partir de referenciais de pessoas brancas”, disse Edna. Em Dourados, existem poucos salões especializados em cabelos crespos e a maioria adota o alisamento como principal forma de embelezamento, “o que propomos às novas cabeleireiras é que valorizem os traços das pessoas e que a diversidade não seja afrontada pela imposição de um modelo único e estigmatizado”, afirmou Edna da Silva. O curso de cabelo afro beneficiou 15 pessoas através do Programa Coletivos de Qualificação para o Trabalho, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária, desde junho desse ano. Os alunos foram cadastrados depois da participação do curso de “inserção do mercado de trabalho” também promovido pelo Núcleo de Promoção e através de convites distribuídos às escolas. “Somos conscientes do processo de miscigenação brasileira, porém, esse processo não pode ser usado para justificar agressões e violências que são cometidas contra a identidade e liberdade de expressão do corpo das mulheres, no caso das mulheres negras os estereótipos e a falta de respeito são constantes”, conclui Edna da Silva. Confira a programação do Mês da Consciência Negra: Dia 14 – Entrega de certificado do curso de cabelo afro – local: Sala de reuniões da Prefeitura – às 14h Dia 14 – Palestra na Escola Reis Veloso às 7h Dia 15 – Grupo de alunos do Reis Veloso visitam a Comunidade Quilombola De 15 a 20 – Reuniões e assembléias de organização da entidade negra – local: Jardim Maracanã – às 20h Dia 16 – Palestra no curso de Serviço Social – local: Unigran Dia 19 – 1ª Festa do Povo Negro – distrito da Picadinha – às 13h Dia 20 – Uso da Tribuna na Câmara Municipal de Vereadores – às 18h Dia 21 e 22 – 1ª Mostra de Universitários Negros – local: Uems – dia 21 às 19h e dia 22 das 7h as 17h

Comentários