17.3 C
Três Lagoas
sábado, 25 de junho, 2022
InícioNotíciasGeralDefensoria Pública orienta como agir em casos de fraudes no golpe do...

Defensoria Pública orienta como agir em casos de fraudes no golpe do pix

Defensoria registrou 53 atendimentos relacionados a golpe com Pix em todo MS

A Defensoria Pública de MS, por meio do Núcleo do Consumidor (Nuccon), chama atenção para que as consumidoras e consumidores tenham cuidado com os casos de golpe com pix, transferência de recursos instantâneo.

Em matéria divulgada hoje (15), no Dia do Consumidor, a Defensoria registrou, até ontem (14/03), 53 atendimentos relacionados a golpe com Pix em todo Estado.

A coordenadora do Nuccon, defensora pública de Segunda Instância Jane Inês Dietrich, pontua que golpistas acompanham a evolução da tecnologia, por isso, é necessário se prevenir.

“Análises podem confirmar possível fragilidade no sistema operado pelo fornecedor do serviço, ou seja, que a atividade da instituição financeira, que é regulada pelo Banco Central, possibilitou a ação do criminoso. Confirmar a identidade antes do envio de valores, trocar senhas, pin e puks ajudam a se proteger de fraudadores”, explica a coordenadora.

Com base no ofício 298/2022 do Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor, veja um guia sobre prevenção dos principais golpes envolvendo Pix:

SIM Swap

É um novo golpe onde o criminoso liga para a operadora, se passa pelo cliente, e pede o cancelamento do chip e transferência de todas as informações da linha para um novo dispositivo microeletrônico. Desta maneira o golpista começa a receber ligações e mensagens que a vítima receberia, permitindo o acesso ao banco, redes sociais, ou qualquer aplicativo que tenha sido programado para recuperar senha via SMS.

Orientação: Todo chip vem com um código de pin e puk, que serão solicitados todas as vezes que houver transferência de um chip ou todas as vezes que você desligar o aparelho. No entanto eles precisam ser ativados nas configurações do aparelho.

Whatsapp clonado

O golpe do Whatsapp clonado já era aplicado antes do Pix, no entanto, a instantaneidade da forma de pagamento torna a ação mais eficiente.

Orientações: Não informar códigos ou outras informações sobre seu Whatsapp para desconhecidos, e não transferir dinheiro para amigos ou conhecidos, sem confirmar que realmente se trata da pessoa.

Perfil falso no Whatsapp

Em vez de clonar o Whatsapp, outros golpistas recorrem à criação de um perfil falso da vítima. Eles se passam pela pessoa ao criar uma conta no Whatsapp com seu nome e foto. Com isso, passam a pedir dinheiro.

Orientação: A melhor recomendação é sempre confirmar que realmente se trata da pessoa em questão antes de realizar qualquer tipo de movimentação financeira. Você pode sanar essa dúvida rapidamente fazendo uma ligação, por exemplo.

Páginas falsas para roubar dados

Para começar a usar o Pix, os usuários devem cadastrar uma chave. O golpe ocorre justamente nesse momento, quando são enviadas mensagens ou e-mail com um link para cadastro da chave. Nessas páginas falsas, são solicitados dados que permitem que os golpistas possam usar o dinheiro da conta de forma indevida.

Orientação: É sempre importante se certificar de que você está realmente na página real do seu banco antes de inserir qualquer dado.

Falsas centrais de atendimento

Os golpistas criam contas no Whatsapp se passando por bancos ou outras instituições, solicitando informações sigilosas ou enviando links maliciosos.

Orientações: Para evitar que isso aconteça com você, sempre entre em contato com o seu banco por meio do site, aplicativo ou presencialmente, na sua agência. Além disso, desconfie sempre receber links que solicitam a informação de dados bancários.

Venda falsa

Este golpe é feito através da venda de algum produto em uma rede social ou site de uma loja. O golpista negocia com a vítima para que o pagamento seja feito pelo Pix, mas o produto não existe e a venda é falsa.

Orientação: Pesquise se as ofertas ou produtos são confiáveis, verifique se a loja existe, confira os sites especializados em reclamações; Se for um perfil em uma rede social, desconfie de grandes promessas.

Novas medidas do Banco Central

Caso você tenha caído em um desses golpes mencionados, é ideal que você acione a polícia e a sua instituição bancária. Você também pode registrar uma reclamação no Banco Central contra a instituição onde o golpista possui conta.

Lembre-se que você tem direito ao Serviço de Atendimento ao Consumidor. Caso o seu problema não seja resolvido você pode recorrer à Defensoria Pública ou ao Procon.

Para evitar esses golpes, o Bacen também anunciou medidas de prevenção:

• Limite de R$1.000 no valor das transferências no período noturno: entre às 20h e 6h, operações financeiras entre pessoas físicas e microempreendedores (MEI) terá o limite de R$1.000;
• Bloqueios de transações por 30 minutos durante o dia ou 1 hora durante à noite: todas as transferências feitas via Pix passam por uma análise de risco e, caso haja algum indício de anormalidade, esse bloqueio de tempo é acionado para que uma análise mais criteriosa seja feita, reduzindo assim o risco de golpes;
• Prazo mínimo de 24h e máximo de 48h para pedidos de aumento do limite: é o tempo que levará para pedidos de aumento do limite diário de transferências via Pix serem atendidos.
Atenção: o limite diário pode ser alterado pelo cliente, exceto no período noturno. Por exemplo, uma pessoa pode alterar limite diário para R$5.000,00, mas independente disso, das 20h às 6h, o limite será R$1.000,00.

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.