Ao todo seis colombianos que seriam membros da quadrilha foram levados para a sede da DEFRON e indiciados pela prática de crime contra a economia popular

Na manhã da última sexta-feira (5), policiais civis da DEFRON, Delegacia Especializada de Repreensão aos Crimes de Fronteira, cumpriram três mandados de busca e apreensão suspeitos ligados a esquema de empréstimos ilegais de dinheiro a comerciantes em Dourados.

Após informações dando conta de um esquema de agiotagem em que indivíduos de nacionalidade colombiana estariam emprestando dinheiro a juros exorbitantes e empregando graves ameaças durante a cobrança a comerciantes, os policiais chegaram até Gerardo Antonio Londono Gomes de 24 anos e Jhon Alexander Sierra Rojas Jardim também de 24 anos, moradores no Jardim Clímax.

Na casa dos dois na rua Antonio Emilio de Figueiredo foram encontrados cadernos com anotações de controle de empréstimos e respectivos recebimentos, cartões de publicidade e oferecimento de empréstimos com valores de juros iniciais de 20%, além diversos comprovantes de remessa de enviado dinheiro para a Colômbia. Com Gerardo foram aprendidos R$ 3.697 em dinheiro e com Jhon R$ 7.671.

Durante as investigações, a DEFRON concluiu que com a ajuda de outros colombianos a quadrilha tinha foco em empréstimos para pequenos comerciantes que eram obrigados a pagar quantias exorbitantes de juros que eram cobrados por dia.
Durante as buscas os policiais descobriram até um aplicativo de celular que era utilizado para auxiliar nos registros de empréstimos e controle dos recebimentos dos valores. Os investigadores descobriram também que o mesmo esquema vem sendo aplicado São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Ceará.

Ao todo seis colombianos que seriam membros da quadrilha foram levados para a sede da DEFRON e indiciados pela prática de crime contra a economia popular, a conhecida agiotagem. A reportagem não conseguiu identificar os nomes dos outros envolvidos.

(*) Antonio Coca – MS em Foco

Comentários