17/11/2006 07h52 – Atualizado em 17/11/2006 07h52

Dourados News

Depois de se dedicar nos últimos meses à campanha eleitoral, o senador Delcídio do Amaral(PT/MS) voltou nesta quinta-feira a ocupar a tribuna do Senado para defender uma nova postura do governo no segundo mandato do presidente Lula, a realização de reformas estruturais e a definição de um arcabouço legal que dê segurança aos investidores e permita ao país crescer em ritmo compatível com as necessidades da população. – A campanha eleitoral acabou e nós precisamos olhar para todos os segmentos da sociedade. Não existem somente os desassistidos . Existe a classe média, os mais abastados e precisamos governar para todos. Não podemos criticar as ditas elites. O que são elites? Há elites de parlamentares, elites de professores, de cientistas, de intelectuais, de médicos. Não podemos generalizar esse discurso, porque precisamos fazer um governo para todos. Um presidente representa todos e não segmentos da sociedade, por mais que se deva ter uma atenção especial àqueles que precisam da mão generosa do Estado, para que conquistem dignidade e depois venham a ser preparados para o mercado de trabalho, a fim de que os programas sociais não se transformem única e exclusivamente em programas assistencialistas. Sei que não é esse, em absoluto, o desejo do nosso Governo – afirmou o senador. Para Delcídio, é preciso que o PT faça uma reflexão sobre os erros cometidos nos últimos 4 anos. – Temos de ter humildade para reconhecer aquilo em que erramos, no PT especialmente. Fazer uma avaliação rigorosa dos nossos passos, para que, com humildade, venhamos a corrigir nossos desvios. Isso é muito importante não só para o segundo mandato do presidente Lula, mas também para o futuro do Partido. Temos de ter coragem e reconhecer que erramos e não culpar quem fez um trabalho grande, quem teve um posicionamento isento ou quem, em seu dia-a-dia, no Senado ou na Câmara, honrou o Partido dos Trabalhadores no Congresso Nacional, como vários senadores do nosso Partido. Temos de passar por essa avaliação, que não está absolutamente fora do contextos pelos quais outros países de esquerda passaram pelo mundo – acredita Delcídio. O parlamentar sul-mato-grossense defendeu ainda a atuação da imprensa durante os escândalos que foram acompanhados com atenção por toda a população. – A imprensa fez um papel fundamental nesses últimos dezoito meses difíceis que enfrentamos. Ela simplesmente registrava o que acontecia e não é responsável pelos escândalos. Nós temos que virar essa página para que em seu segundo mandato o presidente Lula governe para um Brasil de todos – ponderou.

Comentários